Governo defende ampliação de recursos para enfrentar impactos da covid-19

Em coletiva, governador também anunciou distribuição de cestas básicas a alunos da rede pública de ensino, para preservar saúde de servidores

25/03/2020 22h35 - Atualizada em 28/04/2020 16h19
Por Jackie Carrera (SECOM)

Para manter a população devidamente informada sobre a dinâmica de contágio pelo novo coronavírus no Pará e o andamento das ações preventivas adotadas pelo Estado, o governador Helder Barbalho realizou, nesta quarta-feira (25), mais uma entrevista coletiva com a participação dos secretários de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame, e de Educação, Elieth Braga.

O governador adiantou que o Estado distribuirá 535.700 cestas básicas para todos os alunos da rede pública estadual de ensino. A medida substituirá a entrega diária de merenda nas escolas, que havia sido mantida pela Secretaria de Educação (Seduc) desde a suspensão das aulas.

Helder Barbalho atualizou a população sobre a Covid-19 e anunciou mudança no atendimento aos alunos da rede públicaSegundo Helder Barbalho, a medida visa resguardar a saúde dos servidores, que acabavam indo às escolas para preparar a merenda e, ao mesmo tempo, garante aos alunos o acesso ao alimento básico de qualidade.

“Nós aprofundamos a estratégia e estaremos substituindo. Vamos colocar um calendário por cidade. Isso é uma logística enorme, já que fizemos as encomendas, tomando o cuidado de não desabastecer o comércio com essas compras, e estamos ajudando as famílias neste momento de dificuldade” - Helder Barbalho, governador.

Helder Barbalho também anunciou o Programa “Todos em casa pela educação”, executado pela Seduc, em parceria com a Fundação de Radiodifusão (Funtelpa), para transmitir aulas pela TV Cultura, todas as tardes, a partir da próxima segunda-feira (30), às 15h.

Números atualizados – Os casos notificados pela Sespa foram informados pelo governador. Até hoje, o Pará tem sete casos confirmados; 289 descartados e 137 em análise.

Sobre os dois novos casos confirmados hoje, um é o primeiro caso de contágio local. Trata-se de um casal que mora em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém). A mulher, 35 anos, viajou para um congresso no Rio Grande do Sul (RS) e fez conexões aéreas em São Paulo e Brasília (DF). O marido, 42 anos, não viajou, mas acabou infectado.

“Portanto, destes sete casos, temos seis importados e um caso que passa a ser transmissão local, já que a esposa transmitiu para o marido em território paraense, quando chegou de viagem”, relatou o governador, ressaltando que ambos passam bem e estão em isolamento domiciliar, com monitoramento médico.

Recursos – Em seguida, Helder Barbalho falou sobre os esforços para ampliar investimentos no âmbito da saúde e para aquecer a economia. O Estado vem disponibilizando recursos do Tesouro Estadual para avançar com as medidas assistenciais e resguardar a população dos impactos causados pelo avanço da covid-19.Na coletiva, o governador Helder Barbalho estava acompanhado dos secretários Elieth Braga e Alberto Beltrame

A partir de segunda-feira (30) devem chegar os equipamentos comprados pelo Executivo para quadruplicar o número de exames feitos diariamente, e assim reduzir os números de casos investigados.

O governador também assinou contrato de compra, no valor de R$ 50,4 milhões, para aquisição de 400 respiradores. Além deles, o Estado também adquiriu 400 monitores multiparamétricos, 400 oxímetros de pulso e 1600 bombas de infusão, que junto aos respiradores, integrarão as UTIs, no Estado. O conjunto total desses investimentos é da ordem de R$ 100 milhões.

Ele também informou sobre o investimento de R$ 246 milhões, resultado de articulação do Executivo com a bancada paraense na Câmara Federal. O governador participou nesta quarta-feira (25) de uma reunião com os deputados, na qual foi decidido que todas as emendas parlamentares transferissem recursos para a área da saúde.

Videoconferência – Na agenda seguinte, Helder Barbalho participou de videoconferência com todos os demais governadores. Na atuação conjunta visando à área da saúde, os governadores decidiram em consenso manter as medidas restritivas de contenção ao avanço da pandemia já determinadas, como isolamento social, impedimento de aglomerações e proibição do transporte coletivo interestadual.

Os chefes de Executivo concentraram a discussão em torno de sugestões para a área econômica, com destaque para utilização do ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) como garantia na contratação de linhas de créditos nacionais e internacionais; fortalecimento das micro e pequenas empresas, além do empreendedor individual e trabalhadores informais; cobrança da União do pagamento de R$ 4 bilhões de compensação da Lei Kandir, e a realização de um programa federal de transferência de renda para famílias que estão na linha da pobreza.

“Fiz algumas sugestões, envolvendo a preocupação com a geração de emprego e renda. E sugeri, inclusive, que o governo federal possa disponibilizar recursos próprios, ou seja, do Tesouro Nacional, que hoje representam cerca de R$ 1 trilhão, para realizar uma ampla distribuição e fortalecimento de transferência de renda para população. Para que as pessoas tenham acesso à renda e possam sobreviver neste momento” - Helder Barbalho, governador.

Ainda sobre o tema, o governador destacou a grande procura por parte de microempreendedores individuais e pessoas físicas pelo crédito do Fundo Esperança, uma das medidas criadas pelo Governo do Pará para fomentar o setor econômico no cenário atual. Segundo Helder Barbalho, em 24 horas (as inscrições foram abertas na terça-feira, 24) já foram cadastrados 25 mil interessados.