Prevenção à Covid-19 suspende cadastramento de famílias para o 'Recomeçar'

Em três dias, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil identificaram mais de 1.600 famílias para o benefício oferecido pelo governo do Estado

21/03/2020 19h57 - Atualizada em 22/03/2020 12h45
Por Leandro Barreto (CBM)

Equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil percorreram as áreas vulneráveis em busca das famílias atingidas pelos alagamentosEm três dias de atividades, equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Pará e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil cadastraram 1.644 famílias afetadas pelas fortes chuvas que caíram em Belém nos últimos meses, provocando alagamentos em vários bairros da capital paraense. As famílias sertão beneficiadas pelo Programa Recomeçar, do governo do Estado. As ações começaram pelos conjuntos Promorar, CDP e Providência, na última quarta-feira (18), e na sexta-feira (20) foram realizadas no bairro Curió-Utinga.

Em função do isolamento social necessário para prevenção ao novo Coronavírus, as ações previstas no cronograma de cadastramento para sábado (21) e segunda-feira (23) foram suspensas.

No primeiro dia, foram cadastradas 401 famílias; no segundo dia, 756, e no terceiro dia de atividades, 487 famílias. As ações envolveram cerca de 30 militares, que além de coletarem dados para o cadastramento, repassaram às famílias informações sobre medidas de prevenção ao novo Coronavírus, causador da Covid-19, com a distribuição de cartazes explicativos.A ação já cadastrou mais de 1.600 famílias para o benefício do ’Recomeçar’

Atendimento - Segundo o morador Elias Souza, coordenador do Fórum de Entidades do Curió-Utinga - formado pelo Centro Comunitário das Castanheiras do Curió, Centro Comunitário do Pantanal, Centro Comunitário São Cristóvão e Associação de Moradores do Paraíso Verde e da Passagem Gaspar Dutra -, área constantemente afetada por alagamentos, “esta foi uma solicitação nossa, e foi muito bem atendida pelos Bombeiros e Defesa Civil, pois muitas famílias foram atingidas pelos alagamentos em nossa comunidade. A intenção é poder atender a todos que precisam”.

Os técnicos foram às casas conversar com as famíliasOs moradores aguardam ansiosos pelo benefício, após as perdas provocadas pelos alagamentos, disse Luciana Lima, grávida, que reside com os três filhos na Passagem Gaspar Dutra. “Vai ajudar a mim e aos meus vizinhos. Esse apoio vai ajudar, e muito”, afirmou.

O Programa Recomeçar, foi lançado pelo governo estadual no início de março para amenizar as perdas causadas a famílias que vivem em áreas de risco, em Belém, pelos alagamentos. O benefício é de um salário mínimo. Para a moradora do Promorar, Raquel Santos, esse auxílio amenizará a difícil situação que eles enfrentam por conta das fortes chuvas.