Hemopa e gestores da rede hospitalar definem estratégias para o atendimento transfusional 

19/03/2020 16h32 - Atualizada em 19/03/2020 17h46
Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)

Nesta quinta (19), o presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra, reuniu com os gestores dos principais hospitais da Região Metropolitana de Belém (RMB) para definir estratégias para o uso racional do sangue na rede hospitalar e assim evitar um eventual desabastecimento transfusional.

Diante do cenário de pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o comparecimento de voluntários à doação de sangue diminui significativamente, não só no Pará, mas em todo o Brasil. Os esforços agora são para minimizar os impactos no atendimento hospitalar que, atualmente, possui milhares de pacientes internados e que dependem de transfusão. 

Entre as ações emergenciais, ficou acordado um sistema de pedidos conscientes de bolsas de sangue, por parte da rede hospitalar. Avaliar as necessidades e solicitar apenas o necessário ao Hemopa. Além disso, o Hemopa vai realizar ações de coleta de sangue dentro das unidades hospitalares de forma programada. Os gestores desenvolverão estratégias para sensibilizar colaboradores, familiares e amigos  de pacientes para doação de sangue e, assim, contribuir para renovação do estoque técnico com intuito de atender plenamente as demandas transfusionais. 

“Precisamos preservar o atendimento transfusional para os pacientes que dependem exclusivamente disso para sobreviver. E ainda pensar nos casos de urgência que podem ocorrer durante este período de pandemia, onde a população está com medo de sair de casa até para doar sangue. Então temos que agir de forma racional em todas as unidades hospitalares a partir de agora e, assim, minimizar os impactos aos pacientes”, destacou Paulo Bezerra. 

Tereza Cristina Azevedo, responsável técnica da Agência Transfusional (AT) do Hospital Barros Barreto, que foi designado a ser referência no atendimento de casos de coronavírus na rede pública de saúde, disse que as medidas serão tomadas imediatamente. "Vamos fazer avaliação de cada paciente se há necessidade daquela solicitação de bolsa de sangue, seja do CTI, da parte cirúrgica ou clínica. Vamos suspender todas as cirurgias eletivas”, ressaltou.

No próximo dia 28 de março, o Hemopa vai realizar uma campanha de coleta de sangue no Hospital Ophir Loyola. O diretor geral da unidade, José Roberto Lobato, já está empenhado na mobilização. “Vamos estimular a doação de sangue entre servidores e familiares de pacientes. Ainda teremos que reduzir o número de cirurgias eletivas e vamos reduzir o número de visitas dentro do hospital como forma de prevenção".

De acordo com o presidente da Fundação Santa Casa de Misericórdia, maior maternidade do Pará, Bruno Carmona, as estratégias precisam ser cumpridas com responsabilidade e atenção ao paciente que possa estar infectado com o coronavírus. "O nosso papel é preparar as nossas instituições para receberem os casos graves que precisem de internação, de sangue, de acompanhamento de UTI, respiradores, etc. A estrutura está sendo bem organizada pelo Governo e Sespa e, nós temos que operacionalizar da forma mais eficiente possível".