Presidente do Iterpa reúne com Estado de Roraima e discute integração de sistemas de regularização fundiária

13/03/2020 15h36 - Atualizada em 13/03/2020 19h00
Por Governo do Pará (SECOM)

Em uma manhã de troca de experiências, o presidente do Instituto de Terras do do Pará, Bruno Kono, apresentou as instalações do órgão paraense ao titular do Instituto do estado de Roraima e sua equipe. O encontro, que aconteceu nesta sexta-feira (13), faz parte das ações do Consórcio Interestadual da Amazônia, discutido durante a realização do 20° Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizado nos últimos dias 11 e 12 de março, no Hangar - Centro de Convenções, onde também foram assinados pactos referentes a regularização fundiária e outros temas.

Também foram discutidos durante o Fórum, pontos importantes e em comum em relação ao trabalho de regularização entre Pará e Roraima. Um deles foi a apresentação do Sicarf (Sistema de Cadastro e Regularização Fundiária) como uma ferramenta que pode contribuir com os títulos de terras daquele estado, e a integração dos sistemas de ambos, com o objetivo de criar uma base regional fundiária.

"A troca de ideias e soluções de como fazemos aqui, e como eles fazem lá, já me deram várias ideias. Vamos então seguir nesse processo de construção de um ambiente amigável e de diálogo, fazendo com que a gente traga resultados para o dia a dia, fortalecendo, cada vez mais, essa parceria”. Bruno Kono - presidente do Iterpa.

Marcio Grangeiro, Presidente do Iteraima, explica que a visita ao Iterpa foi de extrema importância, principalmente no momento de reestruturação pela qual a instituição de Roraima passa.

“A experiência e a expertise do Iterpa vem somar com o nosso conhecimento para que possamos desenvolver o nosso trabalho diário da melhor forma possível, podendo atender de forma mais séria e transparente os usuários, promovendo, assim, a regularização fundiária e ajudando no desenvolvimento do nosso estado”, avaliou.

Grangeiro explicou ainda que as peculiaridades da região, que está inserida na floresta amazônica, são pontos de atração e união entre os institutos da Amazônia Legal e, por isso, possibilita alinhar e minimizar os problemas oriundos da longevidade que envolve o processo de regularização fundiária.

Bruno Kono finalizou dizendo que o objetivo dessas ações conjuntas é melhorar o serviço público de regularização fundiária do estado do Pará e dos outros oito estados que compõem a Amazônia legal.

“Se pensando só com a equipe do Iterpa nós estamos conseguindo soluções, acredito que essas soluções, pensadas por vários gestores, serão ainda mais eficientes. Soluções não apenas para problemas diários, mas para recursos que nos estruturam".