Alunos aprendem no Jurunas importância da preservação do patrimônio

A ação realizada pela Secult e TerPaz prossegue na sexta-feira com programação promovida pelo Arquivo Público

12/03/2020 17h51 - Atualizada em 12/03/2020 19h42
Por Gabriel Marques (SECULT)

Participantes da programação de educação e cidadania realizada pela Secult e TerPazUma manhã voltada para a educação patrimonial foi promovida pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), nesta quinta-feira (12), na Escola Estadual de Ensino Fundamental Arthur Porto, no bairro do Jurunas. O Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (DPHAC) e o Programa Territórios pela Paz foram responsáveis pela iniciativa, cujo objetivo era despertar o sentimento de pertencimento nos alunos em relação ao bairro e ao ambiente escolar.

Os alunos aprenderam principalmente sobre preservação do patrimônio público. A programação incluiu palestra, troca de livros e a oficina “Meu Postal para o bairro do Jurunas”, que promoveu uma construção de imagens baseadas na visão que cada jovem tem do bairro. Os trabalhos serão expostos na escola, nesta sexta-feira (13), quando o Arquivo Público vai realizar, a partir de 8h30, uma dinâmica de palestras sobre preservação e conservação de documentos históricos.Os estudantes realizaram várias atividades no primeiro dia da ação

De acordo com Karina Moriya, diretora do DPHAC, conhecer o patrimônio é fundamental para que jovens possam compreender o porquê de zelar e cuidar dos espaços públicos. “O ideal é levar esse conhecimento para as escolas porque as crianças já começam a ter o conhecimento desde cedo, despertando para a questão de pertencimento”, ressaltou a diretora.

Ela disse ainda que a intenção é levar ações de educação patrimonial para os sete territórios do TerPaz. “Essa é primeira realização deste ano numa escola, e escolhemos o Jurunas por ser uma área que faz parte também das ações do TerPaz. Acreditamos que é importante expandir a programação para os outros bairros”, ressaltou.

Para a vice-diretora da Escola Arthur Porto, Rosiane Martins, após as reformas realizadas na unidade de ensino, essa iniciativa ajuda na preservação do espaço estudantil pelos alunos. “Como a nossa escola passou por obras recentemente, a gente precisa desse tipo de iniciativa para preservar o ambiente. Temos feito ações com nossos alunos sobre essa temática e obtendo alguns resultados positivos. É necessário ter um trabalho constante, porque a educação é formada no dia a dia”, reforçou Rosiane Martins.Júnior Oliveira, estudante do 8º ano, voltou seu olhar para a feira do Jurunas

Visão do bairro – Durante a oficina de cartões postais, muitos alunos puderam pensar sobre como contribuir para um bairro melhor, como Júnior Oliveira, estudante do 8º ano. Para ele, um dos espaços que merecem atenção é a própria feira do Jurunas, um espaço muito frequentado pelos moradores.

“Escolhi a feira do Jurunas, que é um lugar onde as pessoas vão comprar as coisas, e agora está em construção. Antigamente, era tudo sujo. Quando ficar pronta, espero que tenham cuidado e preservem o espaço. Aqui na escola, eu espero que todos tenham consciência de não riscar as paredes, parem de quebrar as cadeiras e tenham mais cuidado com a escola nova”, reforçou o estudante.