Pessoas com deficiência visitam igreja de Santo Alexandre

Programação faz parte do projeto 'Domingo da Acessibilidade e da Inclusão' da Secretaria de Cultura do Estado

08/03/2020 19h31
Por Gabriel Marques (SECULT)

Com o intuito de tornar os museus do Estado espaços cada vez mais inclusivos, o Sistema Integrado de Museus (SIM) promoveu, na manhã deste domingo (8), o lançamento do Domingo da Acessibilidade e da Inclusão, na Igreja de Santo Alexandre, no bairro da Cidade Velha. O projeto é uma iniciativa do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). 

No local, os visitantes puderam conhecer um pouco mais sobre a história da igreja, assim como da arquitetura do espaço. As Pessoas com Deficiência (PcD) participaram de uma visita guiada, com intérpretes de libras para os surdos e áudio descrição para os cegos e pessoas com baixa visão - que também passaram por uma experiência tátil, na qual tocaram em algumas peças selecionadas do acervo. 

Experiência tátil: conhecimento através do toqueSegundo a coordenadora do setor de preservação, restauração e conservação do SIM, Renata Maués, a programação é enriquecedora tanto para os visitantes quanto para o próprio espaço. “Foi algo fantástico! A gente pôde selecionar algumas peças do acervo e possibilitar essa experiência tátil para que eles conhecessem um pouco das obras. Foi enriquecedor tanto para nós como instituição museológica quanto para eles”, ressaltou. 

A professora Elissandra de Brito, que é cega, conta que é a primeira vez que participa de iniciativas tão inclusivas como essa. “Para mim, está sendo a primeira inciativa inclusiva em um museu. Por meio do toque, pude reconhecer as obras e tive a oportunidade de conhecer melhor um pouco da nossa história”, afirmou animada.

Domingo da Acessibilidade e da Inclusão, na Igreja de Santo Alexandre, no bairro da Cidade VelhaPela primeira vez na Igreja de Santo Alexandre, o estudante universitário Marco Antônio, também cego, descreve como foi a experiência. “Achei interessante demais poder tocar nas obras, também gostei muito de encostar nas paredes e perceber o quão espessas elas são”, definiu. Ele conta que sempre sentia dificuldades ao entrar nos museus de Belém. “Sempre foi um problema. Não são acessíveis. Mas abrir eles aos domingos, com uma programação gratuita e acessível, me faz querer voltar”, complementou. 

Políticas públicas - O SIM quer ampliar a política de gratuidade e acessibilidade, fazendo com que os museus adequem seus espaços para receber Pessoas com Deficiência. A medida foi oficializada com a Portaria nº 051, de 05 de janeiro de 2020, que além de ampliar a gratuidade nos museus, tornando o 1º domingo do mês gratuito para toda a população, instaurou o Domingo da Acessibilidade e da Inclusão, sempre no 2º domingo, com serviços inclusivos.