Seduc amplia Sistema Modular de Ensino para 25 localidades

Com a iniciativa, o Estado também garante ensino médio a indígenas, quilombolas, ribeirinhos e assentados rurais

19/02/2020 16h10 - Atualizada em 19/02/2020 17h04
Por Leidemar Oliveira (SEDUC)

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), está ampliando o Sistema de Organização Modular de Ensino (Some) para mais 25 localidades. O Some é uma modalidade de ensino que garante o ensino médio em localidades distantes das sedes municipais. São comunidades onde não é possível construir uma escola com toda a estrutura do ensino regular por ter menos alunos.

Turma do Some em Vila Cardoso, município de MojuO Some funciona com o sistema de parceria – o município fornece o espaço e a Seduc é responsável pelos professores, alimentação escolar e outros recursos pedagógicos. A coordenadora do Some, Regina Celli Alves, explica que a reorganização da modalidade é uma das principais metas da Secretaria.

Em 2019, várias lideranças políticas e comunitárias solicitaram a implantação do Sistema Modular. Na época, equipe da Seduc esteve em 22 municípios para conhecer a realidade local. Porém, devido à limitação orçamentária, a Secretaria definiu como meta a implantação e reativação em 25 localidades para 2020, e mais 20 para 2021. “Priorizamos os locais mais distantes, que precisavam de atendimento imediato, e também onde o Some nunca havia sido implantado ou estava desativado”, explica Regina Alves.

Novidades - Até o momento, a Seduc já publicou 16 portarias, criando o Some nos municípios de Santarém, Breves, Monte Alegre, Senador José Porfírio, Moju, Chaves, Baião, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba e Óbidos. Dentre as novas localidades, o Sistema beneficiará comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhas e assentamentos rurais. Em algumas, o Some vinha sendo solicitado há pelo menos 10 anos. Outras solicitações estão em análise e devem ser atendidas ainda este ano.

Alunos da comunidade de Anilzinho, no município de BaiãoNa comunidade indígena Sawré Muybu, em Jacareacanga, no sudoeste paraense, pela primeira vez haverá ensino médio pelo Sistema Modular, um antigo anseio do povo indígena da região. Outro destaque é para o município de Óbidos, onde a Seduc volta a atuar em sete localidades que estavam com o Some desativado desde 2017.

As matrículas já podem ser feitas nas escolas municipais informadas nas portarias. Em algumas comunidades as aulas já começaram no dia 3 de fevereiro. Para as portarias mais recentes, o ano letivo começa no próximo dia 2 de março. “Para estas comunidades faremos um calendário letivo especial, mas todas terão 200 dias letivos e professores em sala de aula”, garante Regina Alves.