Educação financeira começa a ser implementada nas escolas do Pará

Oficina de formação sobre o programa Aprender Valor foi ministrada para técnicos em Belém

12/02/2020 09h14 - Atualizada em 12/02/2020 09h45
Por Leidemar Oliveira (SEDUC)

Encontro foi voltado para técnicos das Secretarias Estadual e Municipais de EducaçãoTécnicos das Secretarias Estadual e Municipais de Educação participaram, nesta terça-feira (11), em Belém, da primeira oficina de formação sobre a implementação do Programa Aprender Valor. Coordenado pelo Banco Central do Brasil (Bacen), objetiva ensinar educação financeira a alunos do ensino fundamental de escolas públicas brasileiras. O Pará aderiu ao programa em 2019 por iniciativa do governo do Estado, sendo o primeiro da região Norte a participar da iniciativa.

O Aprender Valor no Pará foi lançado oficialmente em dezembro e a partir de agora começa a ser implementado nas unidades de ensino selecionadas pelo próprio Banco. Das 108 escolas piloto que vão receber a ação em 2020, 25 são da rede estadual e 83 da rede municipal. Neste primeiro momento, 52 cidades paraenses devem participar do processo.

Paula Ono, gerente do Aprender Valor A gerente do Aprender Valor, Paula Ono, explica que as oficinas mostraram os detalhes do programa e como será o funcionamento na prática. “Após essa formação, os técnicos vão mobilizar as escolas e os secretários municipais de educação que ainda não conhecem o assunto para que os órgãos façam a adesão oficial na plataforma online do programa”, explica.

A formação dos diretores e professores começa em março nas escolas sorteadas, já a aplicação teórica e prática na sala de aula deve iniciar em maio.

Cada escola aplicará o programa em pelo menos duas turmas de Ensino Fundamental I, para 3º e 5º ano, e Fundamental II, para 7º e 9º ano. A educação financeira será integrada às disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Humanas com carga horária determinada e aplicação de avaliações.

O conteúdo está sendo produzido pelo Banco com a ajuda de especialistas e de uma equipe multidisciplinar de professores.

A educação financeira aparecerá em sala na aula como contexto, exemplo, narrativa e aplicação viva da teoria do que o professor estará ensinando. O planejamento do uso dos recursos, poupar ativamente e uso consciente do crédito são as principais mensagens a serem trabalhadas, associando o conteúdo ao cotidiano do aluno de acordo com a faixa etária de cada turma.

Paola Dias, técnica da Seduc e coordenadora estadual do programa Aprender ValorO Pará ocupa a última posição entre os estados da Federação no índice de cidadania financeira do Banco Central. Segundo pesquisas do Bacen, as crianças possuem maior capacidade de assimilação e aprendizagem desse tipo de conteúdo. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) coordena a parceria no Estado e será responsável pelo monitoramento, mobilização das escolas e execução do programa.

“É um tema de extrema importância para formar o aluno como um cidadão que pode mudar o contexto da sua própria vida, da família e até da comunidade a sua volta. Por isso, vamos garantir que todas as escolas façam a adesão em março” - Paola Dias, técnica da Seduc e coordenadora estadual do Aprender Valor.

Para os municípios, o momento é de expectativa. “Vai ser um aprendizado não só para o aluno, mas para nós, educadores, que poderemos compreender melhor a gerenciar nossas finanças”, comenta o secretário municipal de Educação de Igarapé-Açu, Danilo Silva.