Estado renova cessão do terreno do Parque Zoobotânico Emílio Goeldi

A parceria com o governo federal, que garante o funcionamento do Parque em Belém, é renovada a cada 25 anos

05/02/2020 18h22 - Atualizada em 06/02/2020 10h34
Por Jackie Carrera (SECOM)

O Governo do Pará autorizou a renovação, por mais 25 anos, da cessão de uso da área do Parque Zoobotânico Emílio Goeldi, beneficiando a comunidade científica e toda a sociedade. O governador do Pará, Helder Barbalho, em reunião com a diretora do MPEG, Ana Luiza Albernaz, nesta quarta-feira (5), também tratou sobre uma programação especial para anunciar oficialmente a renovação. O evento deve ocorrer no próximo dia 22 de março.

Nos anos 1950, o Museu Paraense Emílio Goeldi foi federalizado, mas o terreno onde funciona o Parque Zoobotânico, no centro de Belém, pertence ao Estado. De lá até os dias atuais, há uma parceria entre os governos estadual e federal, que precisa ser renovada a cada 25 anos.

O governador Helder Barbalho (d) e a diretora do MPEG, Ana Luiza Albernaz, na reunião sobre o termo de cessão de uso do terrenoO Parque, com centenas de exemplares da flora e da fauna amazônicas, é um dos mais visitados do Brasil. Por ano, recebe cerca de 300 mil visitantes, incluindo 19 mil crianças de escolas públicas. Ana Luiza Albernaz disse que é uma satisfação contar com o apoio do governo. “É uma parceria que existe de fato. O que a gente contribui pra região, o governo contribuindo com a sua parte. Firmando essa aliança, o governo está reconhecendo o trabalho e o valor dessa instituição de pesquisa”, ressaltou a diretora do MPEG.

Em 2017, quando era ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho atuou em Brasília (DF) para garantir recursos destinados a uma das mais importantes instituições científicas do Brasil, que seria seriamente afetada por um corte de verbas anunciado pelo governo federal na época.

Com uma área de 5,4 hectares, o Parque Zoobotânico do Museu Goeldi foi fundado em 1895, sendo o mais antigo do Brasil no gênero. Além de abrigar uma significativa mostra da fauna e flora amazônicas, é o principal local das atividades educativas da instituição, funcionando como um laboratório.

Conhecimentos - “Não é só o Parque estar aberto pra população. Essa cessão é importante pra todo o funcionamento. Porque o Parque é ligado a todas as outras atividades do Museu, tanto de educação ambiental, quanto de pesquisa, extensão, exposições científicas. Ou seja, a equipe do Museu vai continuar trabalhando pra receber o público, tendo ainda esse espaço maravilhoso pra repassar seus conhecimentos”, reiterou Ana Luiza Albernaz.

O Museu Paraense Emílio Goeldi tem suas atividades voltadas, principalmente, ao estudo científico dos sistemas naturais e socioculturais da Amazônia, bem como à divulgação de conhecimentos e acervos da região.