Pará recebe oficinas do projeto “Em Frente, Brasil” do Ministério da Justiça

Gestores estaduais e municipais participaram do primeiro dia das oficinas do “Em Frente, Brasil”, projeto-piloto lançado em agosto de 2019 pelo Ministro da Justiça Sérgio Moro, já implementado em Ananindeua.

05/02/2020 15h39
Por Paulo Garcia (SEAC)

Durante três dias de evento realizado em Belém, os representantes do Governo Federal, Estadual e municipal vão dialogar e elaborar um conjunto de ações de políticas pública para ajudar reduzir as vulnerabilidades sociais da região de Ananindeua.

Cerca de 35 ações serão priorizadas e enviadas para validação. “Vamos iniciar hoje a construção dos planos de segurança pública relacionados ao Estado do Pará e o município de Ananindeua, a ideia é que a gente, se divida em sete áreas temáticas para que a união, o Estado e o município possam identificar dentro de cada uma dessas áreas temáticas, quais são os projetos, as iniciativas e as ações que tendem a mitigar ou anular os fatores de vulnerabilidade econômica dos territórios que foram priorizados pelo alto número de homicídios, especialmente de jovens”, contou Daniel Barcelos, gerente do projeto “Em Frente, Brasil”.

Daniel Barcelos - gerente do projeto Em Frente Brasil

A proposta do programa do Governo Federal alia medidas de segurança pública a ações sociais e econômicas, para promover a transformação das realidades socioeconômicas em cinco regiões: no Norte, em Ananindeua (PA); no Nordeste, em Paulista (PE); no Sudeste, em Cariacica (ES); no Sul, em São José dos Pinhais (PR); e, no Centro-Oeste, em Goiânia (GO). Por meio da cooperação e da integração, obtidas pelas parcerias firmadas com estados e municípios, além da participação de outros ministérios, que auxiliarão para o alcance dos resultados previstos.

“Esse projeto é bastante ambicioso, em termo de segurança pública, mas tem toda noção da realidade, por isso, começamos em cinco cidades pilotos, com a fase um que iniciou em agosto de 2019 e a fase dois que começou em dezembro de 2019, que é justamente a implementação de medidas socioeconômicas, então estão envolvidos dez ministérios para ajudar a desenvolver as mais diversas áreas, como cidadania, educação, esporte, saúde e infraestrutura, por exemplo, essa é a hora de inserir as políticas que vão dar base para esse projeto ser um sucesso”, disse Natália Ribeiro, assessora da Secretaria Executiva do Ministério da Cidadania.

Natália Ribeiro - Assessora da Secretaria Executiva do Ministério da Cidadania

REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA: A primeira fase do “Em Frente, Brasil” consistiu no choque de segurança com homens da Força Nacional atuando em Ananindeua, realizado no mês de agosto do ano passado e somou com as estratégias de segurança do Estado.

Comparando com o período de janeiro a agosto de 2018, foram registrados 285 crimes violentos letais intencionais no município de Ananindeua que reduziram para 125 casos em 2019, uma diminuição em 56%. E com a entrada do projeto do Governo Federal, alinhado com as ações de segurança do Estado, esse número reduziu para 61%.

“Os números mostram que estamos no caminho certo, e os dados tendem a melhorar, a partir do momento que a gente já intensifica essa ideia central que é a mesma do TerPaz para convergir esforços da segurança púbica com políticas sociais” disse Luciano de Oliveira, diretor de operações especiais da Segup.

O coordenador da Câmara Técnica Intersetorial da Secretaria Estadual de Articulação da Cidadania (Seac), Julio Alejandro Quezada Jelves, abriu o evento e em seu discurso, ressaltou a importância de ações em parceria com o Governo Federal e municipal.

“Todas as parcerias, os arranjos interinstitucionais, sempre são frutíferos, pois a soma de esforços focalizados, acaba melhorando os problemas enfrentados, como em Ananindeua, que já houve redução, só esses dados do ano passado demonstram como esse tipo de ação conjunta entre o Ministério da Justiça e as instâncias do Estado, coordenadas pela Seac, sem dúvida tratará bons resultados”, avalia Alejandro.