Escola Jarbas Passarinho vai disputar etapa nacional de torneio de robótica

Será a única unidade de ensino pública a disputar a etapa nacional do torneio First Lego League de Robótica

02/02/2020 10h32 - Atualizada em 03/02/2020 10h21
Por Leidemar Oliveira (SEDUC)

A Escola Estadual Jarbas Passarinho será a única escola pública a disputar a etapa nacional do Torneio First Lego League de Robótica. A competição é promovida pelo Serviço Social da Indústria (Sesi) e pela primeira vez, o Pará realizou o torneio, que contou com a participação de 22 equipes e crianças entre 9 e 16 anos. A etapa regional foi realizada neste fim de semana no Sesi Ananindeua. A equipe JP Tech Team da Jarbas Passarinho está entre 4 finalistas da região Norte que disputarão a final no próximo mês de março em São Paulo. A escola foi classificada em terceiro lugar geral e segundo lugar no desafio de robô.

As escolas estaduais Dr. Freitas e Magalhães Barata também participaram da programação. Os membros do time JP Tech Team, da Escola Jarbas Passarinho, desenvolveram o projeto "Minhas mãos enxergam e meus olhos escutam", voltado para pessoas cegas e surdas. Inspirados na história do professor Jarbas Silva, que é deficiente visual e ainda encontra muita dificuldade em transitar na cidade, os estudantes decidiram criar soluções inovadoras para pessoas com baixa visão. A ideia é ajudá-las a compreender a arquitetura da cidade, como pontos turísticos, avenidas e prédios.

Orientados pelos professores Rafael Herdy, do Núcleo de Tecnologia Educacional da Seduc, e Fábio Castro, os alunos Rodolfo Costa, Paulo Marques, Karen Santos e Ana Luiza Camelo construíram uma maquete em 3D com peças de lego do Forte do Castelo para ajudar os deficientes visuais a entenderem melhor a arquitetura do prédio histórico de Belém.

No desafio do Robô, o mais importante das avaliações, os alunos precisaram construir e programar um robô para que ele, de forma autônoma, cumprisse todas as missões pré-determinadas pela competição. “O resultado do campeonato mostra o potencial da escola pública. Éramos apenas três escolas estaduais em meio a outras privadas com muito mais estrutura. Estar entre as melhores do Brasil é algo muito marcante”, destaca Hardy.