Padronização e higiene são executadas no Centro de Recuperação Regional de Paragominas

O curso foi resultado de uma parceria entre Comando de Operações Penitenciárias (COPE), da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), e a Força-tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP).

24/01/2020 17h09
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Iniciaram no Centro de Recuperação Regional de Paragominas (CRRP), sob intervenção executada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) desde a última quinta-feira (23), nesta sexta-feira (24), ações voltadas à melhoria da unidade. Os pavilhões e celas já estão limpos e será iniciado o trabalho de pintura. 

Há ainda a padronização dos internos, que receberam corte de cabelo e barba, e os kits estão sendo separados para entrega. O procedimento de padronização consiste, além da higienização do centro e dos apenados, em aplicação de disciplina, por meio da realização de revistas, retomada de maior organização e manutenção da ordem. 

Nos dois primeiros dias de intervenção, além das atividades em prol da higiene e dignidade dos custodiados, foram apreendidos e retirados das celas 40 aparelhos celular, 17 chips, 6 baterias de telefone, máquina de fazer arroz e 52 estoques, além dos seguintes entorpecentes 201 trouxas de maconha, 1 pedra de oxi, 599 pacotes de tabaco e, ainda, o valor aproximado de 2.265 reais que foi revertido para a compra de material que está sendo utilizado para dar novo vigor à unidade, com mão de obra carcerária.

Cooperação

Membros da Defensoria Pública, comandados pelo defensor Diogo Eluan, realizaram uma visita no Centro de Recuperação Regional de Paragominas (CRRP) e verificaram a manutenção das garantias e direitos dos custodiados. A comissão conheceu e aprovou os procedimentos efetuados.

Além disso, acompanhados do diretor de Administração Penitenciária, Ringo Alex, e do comandante do COPE, Cel. Vicente Neto, o defensor visitou a instalação de mudas e piscicultura. O projeto, em parceria da SEAP com a Defensoria Pública, visa arborizar as comunidades de Paragominas com árvores frutíferas, promovendo um município mais sustentável. 

Servidores capacitados

Um grupo formado por agentes prisionais concursados de diversas unidades, hoje integrados ao Comando de Operações Penitenciárias (COPE), capacitados em Intervenção em Recinto Prisional, todos vinculados à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), está atuando no Centro de Recuperação Regional de Paragominas (CRRP). Mais do que uma missão, atuar no município é uma forma de contribuir para a melhoria da segurança pública. 

Segundo o agente Pinheiro, formado na primeira turma do Curso de Intervenção em Recinto Prisional, da SEAP, a intervenção no CRRP é fundamental para que a ressocialização posterior seja possível, pois “promove a devolução da dignidade da pessoa custodiada no sistema carcerário”, diz.

A intervenção no CRRP é a primeira ação que conta com a atuação da turma recém-qualificada. Para a agente prisional Murta, antes das ações da atual gestão da SEAP, a situação da segurança era delicada.

"Após isto, principalmente com a intervenção, se iniciou uma reconstrução do sistema, a partir de limpeza e da reestruturação. Sendo a capacitação, um aperfeiçoamento nivelador sobre os conhecimentos que obtivemos no curso de formação anterior e que agora podem ser colocados em prática", destaca.

Segundo a agente Ribeiro, a atuação no CRRP permite a vivência de uma intervenção penitenciária. “Espero aqui em Paragominas e nas demais unidades, colaborar de forma eficaz e efetiva para a sociedade. De modo que possamos devolver esses presos à vida, à ressocialização. Que eles possam voltar às suas famílias, melhorados e ressocializados”. Afirma.

Participam da intervenção no CRRP, agentes prisionais efetivos formados na última terça-feira (21) no I Curso de Intervenção em Recinto Prisional e vindos da primeira turma de agentes prisionais do estado, referente ao Concurso C-199. Os agentes, que já passaram por curso de formação específico, receberam a capacitação, visando o melhor desenvolvimento das atribuições que possuem.

O curso foi resultado de uma parceria entre Comando de Operações Penitenciárias (COPE), da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), e a Força-tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP).