Igeprev promove educação previdenciária e anuncia reestruturação do órgão

A ideia é construir um diálogo mais próximo com a instituição e incentivar futuras atividades que promovam o bem estar na vida inativa. 

22/01/2020 15h34 - Atualizada em 27/01/2020 10h56
Por Jackie Carrera (SECOM)

“Ter trabalhado 25 anos na corporação e se aposentar, e ainda conseguir todos os meus direitos garantidos é um privilégio”. Quem fala com orgulho da carreira que construiu e da nova fase que vive hoje, é a subtenente Firmina dos Santos, 55 anos, militar da reserva do Corpo de Bombeiros do Pará.

Firmina dos Santos se orgulha dos serviços prestados à vida militar.

Aposentada há um ano, ela também reconhece que a mudança é enfrentada de forma gradativa. Por isso, ainda tem algumas incertezas e tenta se adaptar à nova fase da vida.

“Quando a gente sai da corporação é bem frustrante e brusco. Quem não tem uma cabeça boa e mantém suas atividades, sua vida de forma saudável, entra em colapso com certeza”, explica a subtenente.

A reflexão, que não deixa de ser um desabafo, fez parte da roda de conversa "Bem viver a aposentadoria", realizada pelo Instituto de Gestão Previdenciária do Pará (Igeprev), na diretoria de saúde do Comando do Corpo de Bombeiros. O projeto consiste em encontros semanais com segurados do Igeprev e servidores em fase de transição para a aposentadoria. A ideia é construir um diálogo mais próximo com a instituição e incentivar futuras atividades que promovam o bem estar na vida inativa. 

Para Moisés Dutra, Subtenente na reserva, a iniciativa valoriza e reconhece o servidor que tanto contribuiu com suas atividades para a sociedade. 

“Essa iniciativa do Igeprev era um anseio antigo da corporação. É possível ter uma qualidade de vida dentro da reserva, mas pra isso temos que ter uma programação, se preparar para o período de inatividade. É bom falar sobre isso. O ciclo que nós levamos é longo e agora surge um novo”, disse Dutra. 

Trocar experiências sobre a fase de transição é construir ou manter um ciclo com hábitos mais saudáveis. Para Airton Paraguai Jr, 1º SGT/RR dos Bombeiros, é necessário ter novas perspectivas. 

“É uma nova possibilidade, um novo ciclo. Não preciso acordar mais cedo, ir à unidade, responder chamada ou ir à viatura. Agora tenho que buscar coisas novas. Trabalhar o físico e o mental”, aconselhou Airton. 

Segundo o Presidente do Igeprev, Silvio Vizeu, o ‘Roda de conversa’ é um primeiro passo para a construção de um programa futuro de educação para a aposentadoria. Ele dá oportunidade ao segurados e funcionários da instituição de refletir sobre essa nova fase e fazer um planejamento

O presidente do Igeprev, Silvio Vizeu, ressalta que o projeto faz parte da fase de reestruturação do instituto.

“Este é um projeto que está sendo desenvolvido agora, inspirado em uma experiência que existe em outra instituição: o INSS. O objetivo é preparar os nossos servidores para um novo momento que é a aposentadoria. Tanto na questão de se organizar financeiramente quanto na nova vida social. E neste momento de roda de conversa, estamos colhendo elementos importantes para construí-lo”, declarou o presidente do Igeprev, Silvio Vizeu.

Silvio também ressalta que o projeto faz parte de fase de reestruturação do instituto. O objetivo é interiorizar ainda mais os serviços e levar comodidade ao servidor com a impressão de contra cheque digital, por exemplo.

“Em respeito aos nossos servidores aposentados estamos modernizando os serviços, agilizando os atendimentos cada vez mais. Nos próximos anos vamos ver mudanças significativas no instituto na forma de atender e de disponibilizar os serviços. Estamos hoje na região metropolitana de Belém e em Castanhal, mas no próximo semestre queremos entregar unidades em Santarém e Marabá. Também encaminhamos um novo projeto de reestruturação para chegar a outros municípios”, disse Vizeu.

Ao chegar à central de atendimento, localizada na sede do Instituto, na Avenida Alcindo Cacela, 1.962, o beneficiário pode emitir o documento diretamente em um dos totens com a senha de acesso. Caso contrário, deve se dirigir a um guichê reservado especialmente para este serviço e informar os dados necessários ao atendente para que a senha seja criada. Após isso, ele será direcionado a um dos totens para acesso e impressão do contracheque.

Para garantir ainda mais praticidade e comodidade ao beneficiário, o contracheque também pode ser emitido diretamente pelo site do Igeprev, sem que o beneficiário precise se deslocar ao Instituto. Basta acessar o site, clicar em “Emissão Digital do Contracheque” na página inicial e seguir as orientações.

Garantindo uma melhor prestação de serviços à população, o atendimento online ajuda a reduzir filas nos guichês de atendimento, liberando espaço para processos mais complexos. A digitalização dos serviços ainda é uma novidade para os aposentados, que elogiam a experiência. Dona Selivalda Pedroso, de 73 anos, trabalhou por mais de 20 anos como gestora na rede pública de ensino, em Santarém. Depois de aposentada foi morar em Manaus (AM). Ela veio para Belém se informar sobre as mudanças. Na oportunidade, aproveitou para usar um dos terminais eletrônicos e imprimiu seu contracheque.

A aposentada Selivalda Pedroso sobre o atendimento do Igeprev: "É uma graça que a gente recebe"

“Aqui eu fui muita bem atendida. O atendimento é rápido. A possibilidade de imprimir o contracheque sem sair de casa, é muito boa.  Depois de certa idade é difícil fazer uma viagem longa pra resolver algo tão simples”, disse dona Selivalda.

Judith Melo também comemora a eficiência dos serviços: "Facilita muito a nossa vida"

A segurada Judith Lima que também mora em Santarém,foi em busca dos serviços e ficou animada com a possibilidade de abrir uma unidade em Santarém e de poder emitir seu contracheque de forma online. “Isso tudo é ótimo! É muito triste ficar esperando na fila e ainda mais viajar. É um sacrifício muito grande pra gente que é idoso”.

Em 2019, o Igeprev atendeu mais de 77 mil pessoas na Central de Atendimento, estações cidadania e núcleo regional de Castanhal.