Produção de alimentos na estrada de Mosqueiro visa o turismo e segurança nutricional

Com apoio da Emater, comunidade Mari-Mari II hoje vende produtos e incorpora itens nas receitas familiares

13/01/2020 12h42 - Atualizada em 13/01/2020 13h30
Por Aline Miranda (EMATER)

Desde o ano passado, a Emater atua para transformar a Comunidade Mari-Mari II, no km 27 da estrada de Mosqueiro, Rodovia Engenheiro Augusto Meira Filho, distrito de Belém, em um pólo de produção de alimentos no caminho das praias. O objetivo é abastecer o mercado turístico e a própria despensa dos agricultores.

De localização estratégica e com grandes áreas disponíveis para novas atividades, a Mari-Mari II serve também para experiências e laboratório do trabalho da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para três outras comunidades vizinhas: Chico Mendes, Elizabeth Teixeira e Mari-Mari I.

Até recentemente, os agricultores não sabiam o que fazer com as berinjelas das hortas diversas implantadas sob projetos do escritório local Emater. Sem o hábito de consumo e sem entendimento do valor comercial, acabavam doando, sem critérios. Uma equipe especializada do órgão estadual ministrou um curso de aproveitamento de alimentos e, hoje, os agricultores, além de venderem o produto, ainda o incorporam nas receitas do dia a dia.

“Esse é um trabalho de extensão rural. O incentivo não pode se satisfazer na etapa do plantio, da criação: o plantio é só o pontapé inicial de um trabalho amplo e complexo, que envolve conscientização social e científica, treinamento constante, melhoria da qualidade de vida como um todo, segurança alimentar e estruturação da comercialização”, explica o chefe do escritório local da Emater na capital, o veterinário Lázaro José Silva.

No total, são cerca de 200 famílias, que ultrapassaram o limite do plantio de mandioca, feijão e açaí e agora se dedicam além: plantio de banana prata, banana caipira e hortaliças, como beterraba, cariru  e cenoura.

Em agosto, em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), a Emater enraizou 540 rizomas de banana em um berçário de 20m de largura por 8m de altura, coberto por uma tela. Os rizomas se desenvolveram ao ponto de mudas, que este mês serão distribuídas para 10 famílias.

“Banana, além de uma cultura com chamariz comercial fantástico, é um alimento-chave para a segurança alimentar, porque tem muita aceitação ao paladar, tem um valor nutricional muito alto, é um ingrediente de muitas receitas do cardápio dos brasileiros”, diz o responsável pelo projeto, o engenheiro agrônomo da Emater Jorge David Gibson.

Uma horta comunitária também vem ganhando vida e função na comunidade: várias mudas de hortaliças doadas pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sedap) serão inseridas em 1,24 hectares comunitários. O arranjo objetiva ser um espaço de integração, capacitação e consolidação ao senso de organização social.

A comunidade Mari-Mari II sediará, ainda, um viveiro de 20 mil mudas variadas, em uma ação conjunta com o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor). A implantação do viveiro está em fase de aprovação.