Hemopa bate recorde de voluntários em 2019

11.895 comparecimentos foram registrados.

30/12/2019 14h16 - Atualizada em 30/12/2019 15h30
Por Vera Rojas (HEMOPA)

Multiplicação de vidas. Assim foi o mês de novembro para Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) que bateu recorde ao atingir a marca de 11.895 comparecimentos de voluntários na hemorrede estadual, em comparação ao mesmo período do ano passado. Isso representou a coleta de 9.537 coletas que vão beneficiar pacientes internados na rede hospitalar pública e privada do Pará, que vai renovar a esperança de vida de cada um deles.

A mobilização do mês passado teve um atrativo especial com a programação comemorativa ao Dia Nacional do Doador de Sangue, festejado em 25/11 e cuja campanha foi promovida de 23 a 30/11, que gerou homenagens e agradecimentos aos voluntários no estado, bem como a instituições parceiras, que gera um impacto significativo na resolutividade na assistência à saúde.

Sem esconder a satisfação com o número recorde de pessoas sensibilizadas para doação de sangue em novembro, o presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra parabeniza os servidores da hemorrede.

“Agradeço pelo empenho de todos que contribuíram, diretamente e indiretamente, para o sucesso da campanha em homenagem ao doador. Da mesma forma, agradeço antigos e novos doadores que atenderam nosso apelo para salvar vidas, por meio da doação de sangue”.

A professora Patrícia Silva  faz parte desse grupo de voluntariado que ganhou parabéns por sua generosidade. Para ela, a doação dá esperança de dias melhores. Ela fala com conhecimento de causa, pois a dedicação em ser uma doadora de sangue surgiu a partir de uma necessidade de receber transfusões após complicações durante o parto.

“Eu tive uma hemorragia e precisei fazer outra cirurgia, foi quando precisei de reposição de sangue. Na época, o Hemopa estava com baixo número de doações e eu não pude receber a quantidade de bolsas suficientes. Continuei internada. Isso  reforçou a importância da doação para mim. A doação de sangue é tão simples e a quantidade retirada não vai fazer falta para quem doa, mas vai fazer toda a diferença na vida de muitos”, enfatizou a professora.

Hemorrede- É composta por 50 unidades, entre Hemocentro Coordenador, Hemocentros Regionais, Hemonúcleos e Agências Transfusionais. Mas ela será ampliada com mais duas  AT´s . São as do município de Uruará, que vai inaugurar até final deste ano;  e do Hospital Materno Infantil de Marabá, que está sendo finalizada. Responsável pela Política Estadual do sangue, o Hemopa garante o atendimento pleno da demanda transfusional para mais de 200 hospitais com produto seguro e de qualidade.

O doador Valdir Matos, 52 anos, de Santarém, faz parte dessa corrente solidária de doadores. “Eu faço questão de contribuir com a sociedade, sendo um doador de sangue. E sempre que possível, também reúno grupos de pessoas e trago para o Hemopa com um único intuito: ajudar as pessoas”, disse o voluntário durante sua doação de sangue no Hemocentro Regional de Santarém, no Oeste paraense. Ao longo de sua vida de doador, ele já efetivou 67 coletas de sangue. Um exemplo de amor à vida do próximo.

Com as campanhas e ações realizadas de janeiro a novembro deste ano, a equipe multiprofissional do Hemopa registrou o comparecimento de 98.316 voluntários que resultou em cerca de 78 mil doações voluntárias de sangue que vão transformar a vida de muitos pacientes. Esse volume de comparecimento/coleta contou também com o importante apoio das campanhas externas realizadas em parceria com instituições públicas e privadas. Foram um total de 91 em apenas 11 meses.

Assistência Hematológica – A equipe do Hemopa também têm outras importantes atribuições além de captar, coletar, processar, armazenar e distribuir o sangue para rede hospitalar. A instituição é referência para assistência de usuários com doenças hematológicas e garante um atendimento ativo de mais de 17 mil pacientes entre adultos e crianças.

O atendimento é multidisciplinar com médicos, biomédicos, farmacêuticos bioquímicos, odontológico, fisioterapeutas, fisiatras, enfermeiras, assistentes sociais, psicólogos e pedagogos.

No período de janeiro a outubro deste ano a equipe realizou 97.972 exames (interno e externo) aos seus usuários.

Entre esses usuários está o garoto João Victor, 13 anos que adora brincar. Mas ele disse que, em tempos de crise, as pernas incham muito e ele sente dores. O tratamento adequado significa qualidade de vida “tenho o sonho de viver uma vida normal e lutar artes marciais. A médica disse que vamos trabalhar para fortalecer minhas pernas para eu poder fazer Karatê”, disse João que foi diagnosticado com Hemofilia aos 9 meses de vida.

João e sua mãe , Zuleide Santos, participaram do curso multiprofissional em Coagulopatias Hereditárias, realizado em agosto, em Marabá. Ela, que é  coordenadora e representante sul e sudeste da Associação Paraense de Portadores de Hemofilia e Coagulopatias Hereditárias (ASPACH),  disse que o município de Marabá ainda precisa de assistência na rede básica de saúde quando se trata de doenças do sangue. “Meu filho, João Victor recebe toda a assistência no Hemocentro Regional de Marabá”.

Formas de amar o próximo- Os serviços oferecidos pela Fundação Hemopa mantém a vida em suas mais variadas formas de amar e se doar. Para tanto, o Hemopa disponibiliza o serviço de Apoio a Transplantes no Pará, onde o Hemocentro possui o Laboratório de Imunogenética, responsável pelo apoio laboratorial do Programa de Transplantes do Estado, com realização de exames pré-transplantes, inclusive, de pacientes renais oriundos dos municípios paraenses. Até o momento o Hemopa já liberou 106.269 tipagens de HLA de doadores aparentados, ou doadores voluntários de medula óssea.

A Fundação é referenciada no estado para cadastramento de doadores de medula óssea, por meio do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). Até hoje, o Hemopa já enviou mais de 128 mil cadastros para o Redome, que fica no Instituto Nacional do Câncer (Inca), onde essa lista nacional é consultada todas as vezes que paciente está em busca de doador compatível não-aparentado.

Revitalização e mais acessibilidade - Como parte das comemorações dos 41 anos da Fundação Hemopa, em agosto deste ano, a entrada principal do prédio sede, na Batista Campos, foi reformada para oferecer maior acessibilidade aos servidores, voluntários, pacientes e visitantes.

O piso foi reformado a partir das normas estabelecidas pela Lei da Calçada, que dispõe a regulamentação da implantação de piso tátil e antiderrapante. As escadas receberam iluminação adequada para melhor orientação em período noturno. Além disso, foram instalados corrimãos, tanto nas escadas quanto na rampa de acesso.

Diante dos avanços da gestão, a presidência da Fundação Hemopa e sua diretoria agradecem o apoio e compromisso de cada servidor que contribui para manutenção da qualidade, segurança e humanização do atendimento “em especial, aos voluntários da doação de sangue que nos permitiu, nestes 11 meses de governo, manter estoque regular de sangue que permitiu atendimento integral à demanda transfusional da rede hospitalar pública e privada do Pará”, destacou o gestor Paulo Bezerra.

Ele ressalta ainda a importância da descentralização da coleta de sangue que facilita o acesso aos serviços à população potencialmente doadora e aos que já praticam esse ato solidário. “Nosso muito, obrigada ainda, ao apoio do Governo do estado para melhorar cada vez mais nosso atendimento aos cerca de 100 mil/ano voluntários da doação de sangue e os cerca de 17 mil pacientes com atendimento ativo. Essa é a nossa missão, abraçada pelo Governo: salvar vidas!”.

Para doar sangue - É preciso ter entre 16 e 69 anos (menores devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar documento de identificação oficial, original e com foto.

Serviço: Em dias normais, as doações de sangue podem ser feitas no Hemocentro Coordenador e na Estação de Coleta Castanheira, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados, de 7h30 às 17h. Há ainda a Estação de Coleta Pátio Belém que funciona de segunda a sexta-feira de 9h às 16h. Mais informações: 08002808118 ou 3110-6500.