Governo executou importantes obras de mobilidade urbana na Grande Belém

Entre elas, estão o início da requalificação da BR-316, instalação de passarelas na João Paulo II e a duplicação de vias

30/12/2019 11h15 - Atualizada em 30/12/2019 13h14
Por Michelle Daniel (NGTM)

Serviços vão melhorar trafegabilidade e dar maior qualidade de vida para a populaçãoPara melhorar a mobilidade urbana da Região Metropolitana de Belém, o Governo do Pará, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), neste ano de 2019, acelerou, finalizou e iniciou várias importantes obras que têm como objetivo promover condições de trafegabilidade em corredores de transportes da região e dar maior qualidade de vida para a população.

A primeira ação foi dar início às obras de requalificação da BR-316, que era tão esperada. O objetivo é transformar a rodovia urbana que é a principal porta de entrada para a capital paraense, em uma moderna avenida. Serão implantadas calçadas arborizadas e ciclovias em ambos os sentidos, 13 passarelas com acessibilidade, 13 conjuntos de estações de passageiros para os ônibus do BRT Metropolitano, dois terminais de integração (Ananindeua e Marituba), quatro túneis (dois em cada terminal) de acesso dos ônibus do BRT para os terminais, o Centro de Controle Operacional que fará a operacionalização dos sistemas de BRT municipal e metropolitano - futuramente integrados -, além das novas pistas em ambos os sentidos e faixa exclusiva no canteiro central. A drenagem será refeita e a BR ganhará nova urbanização.

Conjunto de estações no canteiro central da BROs trabalhos são executados ao longo dos primeiros 10.8 km da rodovia. Atualmente, estão sendo construídos: 10 dos 13 conjuntos de estações de passageiros no canteiro central da BR; os dois terminais de integração; o CCO; as primeiras etapas da nova drenagem da rodovia; remanejamento de interferências como postes e adutoras de água que também possibilitarão as construções das novas passarelas para pedestres; e as fundações do viaduto de Ananindeua. Com isso, o Governo gera cerca de 650 empregos, priorizando a mão de obra da região.

O projeto faz parte do programa Ação Metrópole, implantado nos anos 2000, e que este ano completou sete anos do contrato assinado com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), para a execução da obra que busca oferecer um trânsito mais rápido, confortável e seguro a todos que passam pela via e, sobretudo, motivar a utilização do transporte coletivo. 

O diretor geral do NGTM, engenheiro Eduardo Ribeiro, destaca que dezembro de 2020 é o prazo final para a conclusão dos serviços. “É um grande desafio executar uma obra dessa magnitude diante de todas as interferências que temos em uma rodovia federal que possui grande fluxo. Será uma profunda mudança que trará grandes benefícios, mas também transtornos inevitáveis durante esse processo. Por isso, pedimos desculpas e a compreensão de todos, pois ninguém faz uma obra em uma rodovia utilizada por cerca de 60 mil veículos por dia e mais de 500 mil pessoas que precisam dela diariamente, sem transtornos. Estamos adotando inúmeras medidas para reduzir ao máximo os impactos”, diz.

Prolongamento – As sete passarelas para pedestres no prolongamento da avenida João Paulo II foram instalados neste ano, promovendo maior segurança a motoristas e pedestres que passam pelo local. O trabalho não gerou transtornos, pois foi realizado por etapas e sempre no período da noite, quando o fluxo de carros na avenida era menor. As passarelas instaladas possuem estruturas de aço, com cerca de 40 metros de comprimento, rampas de acessibilidade, piso tátil e iluminação adequada.

Como parte das obras de prolongamento - desde a rua Mariano até o viaduto do Coqueiro - cerca de 20 ruas localizadas nos bairros Castanheira e Guanabara, Região Metropolitana, receberam trabalhos de drenagem, terraplenagem, pavimentação e reurbanização pelo Governo do Pará. O trabalho executado e que segue em etapa final também ajuda a mobilidade urbana da área, uma vez que a maioria dessas vias interliga a rodovia BR-316 à João Paulo II.

“A avenida é muito importante para toda a população, uma vez que o trecho executado pelo Governo possui o conceito de uma via expressa e todas as obras executadas no projeto promovem maior segurança a todos e melhorias viárias nos bairros beneficiados”, frisa Eduardo Ribeiro, diretor-geral do NGTM.

Duplicação – A duplicação e requalificação da rua Yamada e rodovia Tapanã, em Belém, estão com quase 50% dos serviços executados e já beneficiam a população. Os trabalhos foram retomados em janeiro de 2019 e seguem em ritmo intenso com o objetivo de beneficiar cerca de 500 mil pessoas, já que as vias são importantes corredores de transporte da capital. A previsão NGTM – órgão estadual responsável pela execução da obra – é que a rodovia do Tapanã seja totalmente entregue à população até o mês de maio do próximo ano. Já na rua Yamada, o cronograma depende ainda de desapropriações.

Ruas do entorno das obras também recebem melhoriasO projeto prevê a duplicação das vias, pavimentação asfáltica, drenagem profunda, calçadas com acessibilidade, piso tátil, ciclofaixas, iluminação pública, sinalização viária, implantação de canteiro central e nova urbanização ao longo de seus 9 km. A obra também é mais uma etapa do Ação Metrópole, tendo como financiamento recursos do Banco do Brasil, contrato assinado em 2013 e está orçado em R$ 62 milhões.

Entre os desafios, o engenheiro Eduardo Ribeiro pontua o remanejamento de interferências, como postes e imóveis, ambos localizados na faixa de domínio da obra. Além disso, duas importantes mudanças no projeto inicial foram feitas. A primeira trata-se da iluminação pública ao longo dos 9 km da via e algumas melhorias de urbanização. As ruas municipais que receberam o lançamento de drenagem também estão sendo pavimentadas e reurbanizadas, como é o caso da Gerard Sampaio e Tucano, situadas na área do Tapanã.