Moradores do bairro do Bengui têm domingo de cultura e arte

Programação foi composta por ações musicais, teatrais e de economia criativa

09/12/2019 12h04 - Atualizada em 09/12/2019 13h26
Por Rodrigo Avelar (SECULT)

Nem a mudança de clima entre sol e chuva tirou o público da potência que foi o 3º Ame o Bengui: Um Pirão de Cultura. Os moradores do bairro foram contemplados por mais uma programação com música, dança, teatro e economia criativa, realizada pela Associação de Moradores do Bengui (Amob) e governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e Programa Territórios pela Paz.

O evento contou com 13 atrações culturais e 11 microempreendedores da feirinha de economia criativa, entre artesanato, gastronomia e produção autoral de conteúdo formativo, como o material distribuído pelo Grupo de Mulheres Brasileiras. A fundadora do grupo, Domingas Martins, desde o início da manhã, conversou com o público e distribuiu folders que tratavam da conscientização acerca da violência doméstica, saúde e geração de renda para mulheres, além da venda de bombons e velas aromáticas produzidos por elas.

Domingas Martins ressalta que o grupo tem articulação regional, nacional e internacional e que veio até o Bengui para expandir sua atuação. “Pra gente, é muito importante expor, mas também dizer para o quê viemos. Nós falamos das dores, da violência contra a mulher, do que precisamos todas nós ouvir, sempre em trocas, em rodas de conversa, por meio do teatro, e desse material que trouxemos hoje”, disse.

O projeto também celebra os 40 anos da Associação dos Moradores do Bengui. Marcos Sales, um dos coordenadores da ação, ressalta que o espírito de cooperativismo e de interesse em comum pela potência cultural do bairro se renova nesta edição.

“É uma parceria fundamental porque todos participam, todos têm a possibilidade de trazer a sua arte e tem vontade de realizar o evento. Isso é muito bom! O Bengui é um bairro de luta, de conquista, e os nossos artistas estão aqui representando isso. O Bengui está traduzido aqui: na sua arte, na sua cultura, na sua população”, conta Marcos com emoção.

Infraestrutura – O governo do Estado do Pará ofereceu grande parte da estrutura para o evento. A Secult providenciou material de som, palco, iluminação, tendas, banheiros químicos, além das barracas para a feirinha de economia criativa. Para a divulgação, a ação também contou com a força do jornal “Bengola”. Conhecido pelos moradores, o informativo comunitário teve distribuição de 5 mil cópias confeccionada pela Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa).

O Bengui é um dos bairros que formam o Programa Territórios Pela Paz. O diretor do Departamento de Música da Secretaria de Cultura do Estado, Allan Carvalho, conta que ações como esta são importantes, principalmente, em bairros marcados por mazelas sociais, dando suporte para o fomento à cultura e arte como ferramenta para reter índices de violência. Ele ainda destaca que o evento é uma forma de empoderamento dos moradores do bairro.

“É mais um evento que a Secult está envolvida com a comunidade, movimentando vários segmentos artísticos. É um exemplo perfeito de como a sociedade pode se empoderar de maneira diversa”, afirmou o representante da Secult.

O projeto “Ame o Bengui”, por meio de “Um Pirão de Cultura”, abriu oficialmente o Preamar das Festas, calendário de ações realizadas e apoiadas pelo governo do Estado neste fim de ano, por meio da Secretaria de Cultura do Estado e do Programa TerPaz. O evento começou pela manhã e teve programação estendida até o final da noite de domingo (8).