Secretários e educadores participam de seminário sobre educação financeira

06/12/2019 20h40 - Atualizada em 07/12/2019 00h06
Por Leidemar Oliveira (DETRAN)

A gerente do ″Aprender Valor″, Paula Ono (e) Paula Ono, disse que o Bacen percebeu a necessidade de desenvolver o programa nas escolas desde 2017A partir de 2020 a educação financeira será incluída como disciplina transversal nas escolas públicas do Pará. Reflexões sobre dinheiro, poupança, compra, gastos, pagamento de contas e consumo farão parte do conteúdo pedagógico aplicado em sala de aula. A disciplina faz parte do Programa Aprender Valor, coordenado pelo Banco Central do Brasil (Bacen), e que a partir de agora será implementado nas escolas públicas do Pará com a parceria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).     

Na manhã desta sexta-feira (06), a Seduc e o Bacen realizaram o Seminário Conhecendo o Programa Aprender Valor – Educação Financeira nas Escolas – Seduc/Banco Central do Brasil. Os representantes da instituição financeira apresentaram aos participantes os princípios e diretrizes do programa, em especial como o tema pode ser aplicado nas escolas.

Segundo a gerente do Programa Aprender Valor, Paula Ono, a instituição percebeu a necessidade de desenvolver o programa nas escolas desde 2017, a partir de estudos internacionais que mostram que o caminho mais efetivo é iniciar a educação financeira com as crianças. “É mais difícil ensinar educação financeira aos adultos, que já estão com hábitos formados. Por isso, o ideal é iniciar com crianças, desde os anos iniciais do ensino fundamental, para que consigam desenvolver essas habilidades ao longo do seu crescimento. Outra questão é que os pais acabam aprendendo também com os filhos”, destacou.

O seminário foi direcionado inicialmente para secretários municipais de Educação e gestores de USEs (Unidades Seduc na Escola) e UREs (Unidades Regionais de Educação) de todo o Pará, além de toda a equipe de coordenadores da Seduc.

Representantes do Bacen apresentaram aos participantes os princípios e diretrizes do programaSegundo o Bacen, a formação inicia com as lideranças escolares, depois continua com diretores, equipes pedagógicas e professores, e termina com a implementação em sala de aula no segundo bimestre de 2020. Os resultados serão avaliados no final do ano. “Estamos montando o conteúdo específico para cada etapa da vida escolar do aluno, e que faça sentido pra ele naquele momento”, reiterou Paula Ono. O conteúdo será integrado às aulas das demais áreas do conhecimento, de forma lúdica e participativa.

Pioneirismo - O Pará é o primeiro estado da Região Norte a participar do programa. A parceria entre governo do Estado e Bacen foi articulada diretamente pelo governador Helder Barbalho e pela secretária de Estado de Educação, Leila Freire.

A secretária adjunta de Ensino, Ana Paula Renato (d), destacou os critérios da educação financeiraNa abertura do seminário, a secretária adjunta de Ensino da Seduc, Ana Paula Renato, ressaltou que a educação financeira não é um conteúdo simples, e está diretamente ligada ao mau ou bom uso que as pessoas fazem de suas finanças. “É uma formação muito criteriosa, que envolve valores e comportamento. Precisamos chegar à sala de aula mudando o comportamento do aluno, para que ele aprenda e leve esses compromissos às famílias”, informou.

A secretária Leila Freire também destacou a importância do tema e pediu a todos que façam dessa nova disciplina uma grande frente de aprendizagem para os estudantes da rede pública de ensino.