Estado fecha convênios para o desenvolvimento no 52º Encontro Ruralista

Governador Helder Barbalho reforçou o dever da compatibilidade da produção com a preservação ambiental

05/12/2019 10h09 - Atualizada em 09/12/2019 12h08
Por Carol Menezes (SECOM)

Helder durante a adesão com o setor do agronegócio às Sociedades de Garantia de Crédito da Amazônia"Temos que reafirmar a mensagem da absoluta compatibilidade da produção rural com a sustentabilidade e a preservação ambiental". Com esta mensagem, o governador Helder Barbalho encerrou o segundo e último dia do 52º Encontro Ruralista, evento promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) e considerado um dos maiores de líderes sindicais do Brasil, reunindo delegados representantes de 132 sindicatos, além de várias autoridades federais, estaduais e municipais.

À ocasião, o governo do Estado firmou, com o setor do agronegócio, uma adesão às Sociedades de Garantia de Crédito da Amazônia, que complementam as garantias exigidas para os produtores associados em situação de operações de crédito, e outros convênios com foco no desenvolvimento sustentável da região.

Evento é promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) e reuniu 132 sindicatos rurais"O Pará é o estado que tem todas as condições e potencialidades de ser o primeiro dessa nação em função de ter 3,2% da água doce do mundo, de ter estabilidade climática sem geada e temperatura acima de 40 graus, além de ser o segundo maior em área. Com apoio dos governos estadual e federal, vamos gerar produção e proporcionar a salvação da sociedade brasileira", discursou o presidente da Faepa, Carlos Xavier. "Nossa angústia é de ter um estado com toda essa potencialidade e sermos o povo mais pobre do Brasil. Não podemos admitir isso. Estamos todos juntos aqui, do setor do agronegócio, para provocar o nosso desenvolvimento", reforçou o empresário.

Helder Barbalho garantiu que continua a levar esta mensagem em todas as agendas, dentro e fora do país, com foco na construção de soluções que envolvam regularização fundiária, zoneamento econômico ecológico, melhoramento técnico e genético para produzir mais dentro da área já disponível para produção, sem precisar avançar sobre a floresta.

"Reforço a necessidade de monetizar, precificar a floresta em pé dentro da sua contribuição para o clima, como também para a diminuição da emissão de carbono, e garantindo que essa floresta em pé também seja uma atividade econômica, uma nova commoditie global, o que fortalecerá e favorecerá a agenda e o equilíbrio da sustentabilidade e do desenvolvimento" -  Governador Helder Barbalho.

Com o tema “Agronegócio Sempre. Produzindo vida, conhecimento e inovação”, o encontro, realizado duas vezes ao ano, ocorre em paralelo à Assembleia Geral Ordinária do Conselho de Representantes da Faepa. A agenda do encontro contemplou apresentações sobre perspectivas do clima para a safra 2019/2020 e Amazônia Legal no clima global; projetos de inovação do Senar; gestão sindical; comunicação para o agro; defesa agropecuária como fator de competitividade; política econômica para o agro; representatividade; o agro e o parlamento; desregulamentação e adequação ambiental de propriedades rurais no estado do Pará; logística de transporte; avanços para regularização fundiária; Comissão Nacional de Desenvolvimento da região Norte e perspectivas para o agro brasileiro e a inserção do Pará: oportunidades e desafios.

Ouça a matéria completa: