Comandante-geral da PM esclarece situação de aluno vítima de atentado

O aluno poderá terminar o curso de formação e entrar com processo de reforma

30/11/2019 15h51 - Atualizada em 30/11/2019 18h09
Por Carlos Reinanderson (PM)

Uma comissão de oficiais, presidida pelo comandante-geral da Polícia Militar do Pará, coronel José Dilson Melo de Souza Júnior, recebeu na manhã de sexta-feira (29) o aluno praça Bruce Baía Duarte, vítima de atendado com arma de fogo, que o deixou paraplégico. Ele poderá concluir seu curso de formação para poder solicitar o processo de reforma.

O coronel Dilson Júnior (d) na reunião com o aluno Bruce DuarteDurante a reunião, o aluno pediu esclarecimentos sobre sua situação na corporação, e foi informado que, após realizar a solicitação, poderá concluir as disciplinas teóricas que ainda faltam para terminar o Curso de Formação de Praças (CFP). A aulas e provas serão ministradas no Centro Integrado de Psicologia e Assistência Social (Cipas), por onde ele já recebe assistência.

Após a conclusão do curso de formação, o aluno poderá solicitar seu processo de reforma, uma vez que somente policiais militares formados podem ser reformados.

Atualmente, Bruce Duarte recebe todo o apoio da instituição. O aluno está cadastrado no Programa Aluguel Social, visto que foi vítima de um atentado em março deste ano, no bairro do Guamá, onde residia anteriormente.

Bruce Duarte alertou para a necessidade de o policial militar contribuir com algum plano de assistência médica. “Após termos uma palestra com o comandante-geral sobre a importância de o militar aderir a um plano de saúde. Eu aderi ao Iasep, o que foi primordial para o meu atendimento no dia do atentado. De imediato, fui levado para a Unidade de Pronto Atendimento, mas lá não tinha o suporte necessário”, contou o aluno que, logo após, foi atendido em um hospital particular.