Histórias de superação marcam a abertura da II Semana da Pessoa com Deficiência

29/11/2019 22h33 - Atualizada em 01/12/2019 15h01
Por Claudiane Santiago (SEJUDH)

O designer de produtos Lucas Quaresma, que transformou sua vivência com o autismo em histórias em quadrinhosHistórias em quadrinhos sobre a vida de uma pessoa com deficiência foi a forma encontrada pelo designer de produtos Lucas Quaresma, 26 anos, para mostrar que todos são iguais em suas diferenças. O jovem autista compartilhou a experiência de vida durante a abertura da II Semana da Pessoa com Deficiência, na sexta-feira (29), promovida pela Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do Ministério Público, em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

Há oitos anos Lucas escreve sobre a maneira como vê o mundo, incentiva a reflexão ao mostrar um novo olhar em relação às pessoas com deficiência. Formado em Design de Produto, em 2016, o profissional é autor de várias histórias em quadrinhos voltadas para crianças.A inclusão é prioridade no atendimento a pessoas com deficiência

“Ele encontrou um jeito diferente de falar de autismo. É um exemplo de superação, que deve ser visto e compartilhado para mostrar ao mundo que todos têm potencial”, declarou a amiga e sócia do designer, Thayz Magnago, idealizadora da iniciativa HQs do Lucas Team, juntamente com a mãe do rapaz.

O trabalho pode ser conferido em exposição dentro da programação que prossegue até o próximo dia 7 de dezembro, alusiva ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência - 3 de Dezembro. A iniciativa visa mobilizar a sociedade para a defesa da garantia de direitos e promoção do bem-estar de pessoas com deficiência em todos os aspectos da vida política, social, econômica e cultural.

Abertura da II Semana da Pessoa com Deficiência, evento que prossegue nesta semanaDiversidade - Na solenidade de lançamento houve palestras sobre os desafios e conquistas da rede de atendimento e mostras inclusivas de artistas com deficiência que atuam em diferentes segmentos artísticos, como a dança do xote traduzida em Libras (Língua Brasileira de Sinais). “Um momento pra gente mostrar o lado que a sociedade ainda insiste em não enxergar, de combater a discriminação ainda existente, falar de educação em diversidade, acessibilidade e outros temas de suma importância”, pontuou Arlene Paixão, mãe do jovem autista Igor Paixão, 19 anos, graduando do curso de Ciência da Computação.Arlene Paixão e o filho Igor Paixão, que estuda do Ciência da Computação

A programação continua ao longo da próxima semana, com audiências públicas, palestras, comendas aos órgãos parceiros e premiações aos profissionais da imprensa que mais se destacaram em 2019 dando visibilidade às causas em defesa da PCD.

Quebrando barreiras - A Sejudh integra o evento por meio da Gerência de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, por meio do Projeto “Quebrando Barreiras”, que trabalha para sensibilizar estudantes do ensino fundamental e médio, das redes pública e privada, para a causa da pessoa com deficiência.

O projeto será executado no próximo dia 06 de dezembro (sexta-feira), na Escola Estadual Benjamin Constant, em Belém, onde os protagonistas serão jovens com deficiência que vão contar sua maneira de ver e vivenciar o mundo, para levar reflexão e, assim como Lucas, estimular novos olhares aos estudantes. “Através de suas histórias de vida, eles irão relatar suas dificuldades, enfrentamento e superação às barreiras que impedem o pleno desenvolvimento de suas potencialidades, como iguais na sociedade”, informou a assistente social Eliane Andrade, técnica da Gerência da Sejudh.