Feiras de artesanato no Hangar comercializaram mais de R$ 2 milhões

19/11/2019 19h18 - Atualizada em 20/11/2019 13h33
Por Rodrigo Sousa (SEASTER)

“Eu fiquei muito satisfeita com as minhas vendas. Posso dizer que foi excelente. Eu tive a oportunidade de vender para muitas pessoas de fora do Estado e ouvir que a nossa região tem uma qualidade imensurável de produtos”, contou a designer de joias Iracely de Queiroz, que vendeu todo o estoque durante a VII Feira do Artesanato Paraense (Fesarte), realizada de 3 a 10 de novembro no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia -, em Belém. O evento foi realizado em parceria com a Feira do Artesanato Mundial (FAM), promovida pela Charph Eventos.

Iracely de Queiroz está entre os 809 expositores de tapeçaria, cerâmica, tecidos, biojoias e produtos em metais, que durante oito dias participaram de um grande intercâmbio, por meio de mais uma ação do Governo do Pará destinada a incentivar e valorizar o segmento na região, além de criar estratégias de mercado para que artesãos e produtores manuais escoem a produção.

“Uma ação de fortalecimento da categoria e de grande importância para a economia do nosso Estado. A importância desse evento é muito significativa para a integração do artesão e abertura das vias de comercialização dos nossos produtos”, disse a designer.

As duas feiras atraíram quase 68 mil pessoas, que visitaram os 152 estandes repletos de produtos locais, nacionais e internacionais. A Fesarte comercializou R$ 238 mil, e a FAM foi responsável pela comercialização de R$ 2,2 milhões, números expressivos para a economia local e nacional.

Segundo o secretário Inocencio Gasparim, titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), a FAM/Fesarte foi um espaço de representação da cultura regional. “Foram oito dias de evento, onde tivemos a oportunidade de contemplar a beleza dos produtos feitos pelos nossos artesãos. Foi um espaço rico e muito bem representado pelos municípios. As pessoas se sentiram acolhidas. Desse modo, nós apoiamos a diversidade, e as pessoas puderam conhecer a produção de diversos grupos sociais”, informou.