Pará divulga balanço parcial da vacinação contra o Sarampo

Até esta segunda-feira (18), 87,31% das crianças do grupo prioritário foram imunizadas

18/11/2019 11h59 - Atualizada em 18/11/2019 13h28
Por Caroline Rocha (SESPA)

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou, nesta segunda-feira (18), o balanço parcial da Campanha de Vacinação contra o Sarampo. O Pará está próximo de atingir a meta de vacinação entre crianças de seis meses a cinco ano incompletos, tendo vacinado, até então, 87,31% das crianças. O ideal é que esse percentual chegue a 95%. Os dados foram atualizados até o dia de hoje (19).

De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações da Sespa, em relação aos jovens de 20 a 29 anos, o percentual de cobertura foi 8,03%, correspondendo a 92.062 doses ministradas. No Pará, a campanha começou no dia 27 de setembro com o objetivo de resgatar a cobertura vacinal contra o sarampo e aumentar a proteção da população paraense, principalmente, por ocasião do Círio de Nazaré, quando houve intensa movimentação de pessoas vindas de outros Estados e países onde a circulação do vírus está ativa. A antecipação foi necessária para se garantir o tempo mínimo de dez dias para o desenvolvimento dos anticorpos.

A vacinação tem caráter seletivo, ou seja, só são vacinadas as crianças e os jovens que não comprovarem as duas doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. Por isso, é importante que os pais levem a caderneta de vacinação da criança.

Para intensificar a campanha, o Ministério da Saúde (MS) disponibilizou incentivo financeiro aos municípios brasileiros que vacinarem em massa as crianças entre seis meses e cinco anos de idade incompletos. O dinheiro foi repassado no dia 18 de outubro, diretamente para os fundos municipais de saúde, de acordo com o tamanho da população de cada cidade. No Pará, todos os 144 municípios foram contemplados. A lista dos municípios e a metade dos valores recebidos por cada um foram divulgados na portaria Nº 2.722, do MS, de 15 de outubro de 2019.

O objetivo dessa estratégia é premiar os municípios que cumprirem metas em relação à vacinação. A outra metade dos valores, portanto, só será liberada para aqueles que alcançarem 95% de cobertura vacinal da primeira dose da tríplice viral em crianças de 12 meses de idade e também informar ao Ministério e à Sespa do estoque das vacinas de poliomielite, tríplice e pentavalente guardadas nas unidades de saúde.