Detran realiza manhã de conscientização e lembra vítimas de acidentes de trânsito

Culto ecumênico e atendimento psicológico fizeram parte da programação realizada em Belém

17/11/2019 15h59 - Atualizada em 18/11/2019 08h48
Por Leandro Oliveira (DETRAN)

Encontro foi promovido pelo Detran, na área externa do Hospital Metropolitano de Urgência e EmergênciaUma manhã para lembrar, refletir e homenagear todos os vitimados pelo trânsito. Dezenas de pessoas se reuniram na área externa do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) neste domingo (17), em Belém, em um evento promovido pelo Departamento de Trânsito do Estado (Detran), que foi marcado pela emoção. A banda da Guarda Municipal de Trânsito (GBel) recepcionou os presentes com seu repertório.

A mesa de abertura contou com as falas de representantes do poder público, através do Hospital Metropolitano, Detran e SeMoB, e da sociedade civil, representada pela advogada Cristina Louchard, presidente da comissão de trânsito da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Um culto ecumênico reuniu representantes das religiões católica, evangélica e judaica. Nas palavras dos religiosos, um ponto em comum se destacou: a solidariedade nas vias. "É importante que se pontue que o trânsito é também um ato de amor", disse o rabino Moysés Elmescany.

Quatro vitimados de trânsito puderam dar seus depoimentos sobre a importância da luta em prol de um trânsito mais seguro. Todos contaram as experiências das suas dores e perdas, tanto quem sofreu acidente quanto os que perderam parentes e amigos pela violência nas vias. "Há seis anos, não há um dia que eu não chore a perda da minha mãe e irmã, e a minha luta é constante para que se construa a paz no trânsito", discursou o presidente da Associação Vida Pará, Nazareno Lobato.

Durante toda a programação, alguns parceiros ofereceram serviços diversos em tendas montadas nas laterais, com destaque para o atendimento psicológico às vítimas, idealizado pela Universidade da Amazônia (Unama), e a campanha de doação de sangue e medula óssea pela Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

Data - O terceiro domingo de novembro é dedicado à memória de milhões de pessoas que foram vítimas de acidentes de trânsito. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2005 em solidariedade à dor da perda de familiares e amigos e, também, para homenagear todos aqueles que foram vitimizados em decorrência do trânsito.

Dados de 2019, levantados pelo Detran, mostram que foram registrados 9.269 acidentes em todo o Pará, até abril deste ano. Os seis principais fatores de risco nas vias, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, são (OMS): não uso do capacete, não uso do cinto de segurança, uso do celular, não uso do dispositivo de retenção para criança, excesso de velocidade, associação entre bebida e direção.

"É importante que o Detran se una a outros órgãos e a sociedade civil, promovendo eventos como este, que são de fundamental importância no enfrentamento da violência no trânsito", ressaltou o diretor técnico-operacional do Detran, Bento Gouveia.