Agricultores do município de Peixe-Boi são capacitados em recuperação de nascentes

O curso visa recuperar nascentes em propriedades rurais ao longo da bacia hidrográfica do rio Peixe-Boi, um dos principais atrativos turísticos da cidade.

11/11/2019 17h19 - Atualizada em 11/11/2019 18h02
Por Pryscila Margarido (IDEFLOR-BIO)

Vinte agricultores familiares de três comunidades do município de Peixe-Boi, na região nordeste paraense, participaram de um curso de capacitação teórico e prático. A iniciativa é do Projeto Prosaf/Renascente, coordenado pela Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal – DDF, do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio).

Realizado no período de 4 a 8 deste mês, o curso de Capacitação em Proteção de Nascentes foi ministrado pela instrutora do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Kelly Keiko, juntamente com a equipe técnica do Ideflor-bio. A parceria é fruto de um acordo de cooperação técnica firmado em junho deste ano entre as instituições. A prefeitura local também apoia a iniciativa.

Capacitação - A atividade aconteceu nas comunidades da Terceira Travessa, Tauarizinho e Marudazinho. Na parte teórica, a capacitação abordou sobre a importância da água; a formação e os tipos de nascentes; legislação, além de mostrar os cinco passos do processo de recuperação das nascentes, que, na prática, são: fazer a identificação das nascentes, cercar, limpar, controlar a erosão e replantar espécies nativas na área.

“Esse é um projeto piloto, onde a ideia é formar multiplicadores. Replantamos as espécies nativas como açaí, cacau e maranhoto, para demonstrar a forma de fazer, exemplificando, por exemplo, a distância de uma para outra, onde plantar. Agora vamos monitorar o trabalho que está sendo feito pelos produtores”, pontuou o técnico da DDF, Estevam Coqueiro.

Os agricultores familiares estão colocando em prática as técnicas de recuperação das nascentes que passam por dentro de suas propriedades e que abastecem diretamente a bacia do rio Peixe-Boi. “É de extrema importância para o funcionamento dos ecossistemas, do meio ambiente terrestre e aquático. Permite transformar cenários, paisagens, e principalmente, melhora a qualidade de vida do ser humano”, ressaltou Coqueiro.

Turismo - A proteção das nascentes da bacia do rio Peixe-Boi é de grande relevância para a região, levando em consideração que aquele município possui uma nítida vocação turística, tendo o seu rio como cartão-postal e principal atrativo turístico da cidade. “Promover a recuperação ambiental da bacia do rio também é uma forma de incentivar o turismo local, o que é imprescindível para o desenvolvimento no contexto sócio-econômico e ambiental do município”, ponderou a presidente do Ideflor-bio, Karla Bengtson.

Projeto Prosaf/Renascente - O projeto tem como principais estratégias o estabelecimento de uma rede de ações atuantes sobre a recuperação de áreas antropicamente alteradas, ou seja, pela ação do homem, ao longo da bacia hidrográfica do Rio Peixe-Boi. São áreas com diferentes níveis de necessidade de recuperação ambiental.

A capacitação é parte integrante das ações previstas no projeto e visa atender à legislação vigente do novo código florestal, que trata no Capítulo II sobre as Áreas de Preservação Permanente (APP), e no artigo 4º aborda os parâmetros relacionados às faixas de vegetação que deverão ser mantidas ao longo dos cursos d’água e áreas do entorno das nascentes.