Vítimas de escalpamento recebem material pedagógico para poder estudar

Ineditismo e alcance educacional do “Caderno Pedagógico” foram reconhecidos internacionalmente.

07/11/2019 16h49 - Atualizada em 08/11/2019 11h30
Por Ailson Braga (IOE)

Um instrumento pedagógico importante para que as vítimas de escalpamento (acidente no qual ocorre a retirada da pele que recobre o crânio, e não escalpelamento como se costuma dizer de forma errada) continuem sua educação formal, enquanto são atendidas para tratar das sequelas do acidente do qual foram vítimas. Esta é a importância e a função do “Caderno Pedagógico” do Espaço Acolher, da Fundação Santa Casa de Misericórdia, material que foi entregue na manhã desta quinta-feira (07), pela gráfica pública Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa), na sede do Espaço Acolher, em Belém. A entrega foi feita por Rodrigo Moraes, coordenador da editora Dalcídio Jurandir, e Lica Oliveira, assessora da editora.

O “Caderno Pedagógico” é o resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Ioepa que irá possibilitar acesso à alfabetização pelas vítimas de escalpamento no Estado do Pará, atendidas pela classe hospitalar do Espaço Acolher, da Fundação Santa Casa de Misericórdia.

Rodrigo Moraes falou sobre o papel da Ioepa na parceria com a Santa Casa e a Seduc, destacando o bem comum como norteador do trabalho da editora e da Imprensa Oficial. “Nós, da Ioepa, colocamo-nos à disposição para essas parcerias. Nossa função é possibilitar que materiais gráficos possam servir ao bem comum e esse caderno serve a isso. Hoje damos a nossa contribuição para garantir melhores condições de vida e de estudo às pessoas que são atendidas aqui no Espaço Acolher”, destaca o coordenador da gráfica pública Dalcídio Jurandir.

Gilda Saldanha, professora da Seduc no Espaço Acolher, explicou que o “Caderno Pedagógico” leva em consideração a realidade das pacientes, com os saberes e experiências vividas nas comunidades ribeirinhas do Pará, onde elas vivem. “Esse caderno pedagógico foi criado em conjunto com as crianças. O seu conteúdo partiu delas e é dirigido a elas. É uma história de uma das crianças daqui, que só mudamos o nome, mas mostramos a natureza, a cidade onde ela mora, as frutas. Ou seja, é uma realidade conhecida. Isso facilita muito o processo de alfabetização e aprendizagem”, afirmou Gilda Saldanha. Ela ressaltou que o material é usado nos anos iniciais de estudo para o trabalho de alfabetização e letramento.

Reconhecimento internacional - Maria Luiza de Matos, coordenadora do Espaço Acolher, agradeceu a parceria da Ioepa e lembrou que em tempos de poucos recursos, a manutenção do estudo de pessoas que estão longe da casa e da escola é importante, também, para a garantia da saúde de forma integralizada. “Além do material didático, que é de suma importância para nosso trabalho, a Ioepa também garantiu os folders do Espaço Acolher e da classe hospitalar”, lembrou. O material ficará à disposição dos visitantes no próprio espaço, que recebe diariamente doações de cabelos, roupas e materiais de higiene.
Maria Luiza de Matos ressaltou ainda que o material também será distribuído em municípios do interior do Estado, onde os acidentes com o eixo do motor de barcos ainda são constantes. “O material informativo alerta para a prevenção do escalpamento e o ‘Caderno Pedagógico’ será usado em sua função principal que é a alfabetização”, observou.

A pedagoga da Seduc, Denise Mota, que trabalha na classe hospitalar do Espaço Acolher, anunciou que o ineditismo e o alcance educacional do “Caderno Pedagógico” foram reconhecidos internacionalmente como instrumento de educação transformadora. Denise informou que as professoras da classe hospitalar do Espaço Acolher/Santa Casa foram convidadas para mostrar o material didático em um congresso internacional sobre pedagogia hospitalar que ocorrerá nos dias 13 e 14 de novembro, em Medelín, na Colômbia.

“O Brasil é o homenageado, e os estados do Pará e de São Paulo irão representar o país. Vamos mostrar nosso trabalho com as vítimas de escalpamento e o processo de alfabetização com o ‘Caderno Pedagógico’. É uma honra pra nós e é um momento especial podermos divulgar nosso trabalho para outros países da Pan-Amazônia e do mundo”, comemorou Denise.

Emoção e memória – Para a psicóloga Jureuda Duarte, que assina o prefácio do caderno pedagógico, a elaboração, impressão e distribuição do material é mais do que justa por se tratar de um serviço de referência, que atende as vítimas de escalpamento do Estado do Pará. "É um material de divulgação das ações que o Espaço Acolher desenvolve que é um atendimento psicossocial às vítimas do escalpamento que passam meses em Belém e, ao terem alta da Santa Casa, participam das atividades da classe hospitalar para não perderem tempo de estudo", informou ela.

Ex-aluna do Espaço Acolher, Maria de Nazaré de Almeida Souza, se emociona ao segurar o “Caderno Pedagógico” em suas mãos. Ela lembra que quando foi acolhida naquele espaço, esse material didático ainda não existia. “É uma coisa linda! É uma beleza mesmo, porque fala de nossas vidas, das nossas comunidades, dos nossos costumes. Eu aprendi a ler e escrever aqui e eu vejo, hoje, que as crianças vão aprender muito melhor vendo as coisas que elas conhecem, do dia a dia delas, com esse livro maravilhoso. Dá até vontade de chorar quando olho esse caderno”, afirmou emocionada.