Projeto discute a expansão da pecuária sustentável em regiões do Pará

Incorporar uma visão sustentável à cadeia de produção pecuária, objetivando mudanças em todas as etapas do processo é o principal objetivo do Projeto

31/10/2019 12h53 - Atualizada em 31/10/2019 14h08
Por Ronilma Santos (SRGBA)

Representantes do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) estiveram no Centro Regional de Governo do Oeste do Pará, na última quarta-feira (30), em reunião com o Secretário Henderson Pinto para discutir sobre o projeto “Da cria ao bife”.

O projeto incorpora uma visão sustentável à cadeia de produção pecuária, objetivando mudanças em todas as etapas do processo, com planejamento para uma demanda de grande mercado, valorização e implementação da regularização ambiental, bem como da capacitação do produtor rural e dos técnicos, no sentido de otimizar o trabalho realizado em todos os procedimentos envolvidos, desde a criação do gado até a elaboração de produtos finais.

Também foram destacadas as dificuldades presentes nesse contexto, as quais podem ser superadas a partir do entendimento das questões legais referentes à regularização ambiental. “Estamos alinhando nossa atuação com tudo que governador Helder tem determinado: o desenvolvimento sustentável. É provar para o mundo que aqui no Pará nós produzimos e preservamos a floresta. É este o modelo que o governador tem buscado e através de todos os órgãos está implantando no Pará. Assim como o produtor rural, que tem o mesmo objetivo e é o principal interessado em manter o ciclo climático intacto, não prejudicando a produção”, analisou o secretário regional de governo, Henderson Pinto.

“A reunião de hoje foi muito importante, pois a partir dela foi possível ouvir os parceiros, entender as demandas e quais são as dificuldades presentes na região. Para além disso, pecebeu-se também o grande potencial que a região possui, com várias cadeias produtivas, com a agricultura familiar, a pecuária de corte e de leite, mas ambas enfrentando obstáculos nos processo de licenciamento, de incentivo à assistência técnica. Realmente é preciso pensar sobre isso, para se fazer uma produção de forma responsável”, afirmou Alcilene Cardoso, coordenadora regional do IPAM.

Atualmente, o projeto funciona em alguns estados, como Pará, Mato Grosso, Rondônia e Acre. No entanto, nem todos os municípios produtores fazem parte. Enquanto isso, os representantes do IPAM realizam visitas pelos estados, com o intuito de expandir e apresentá-lo em áreas estratégicas, como a do Baixo Amazonas, Tapajós e Xingú, que abrangem os municípios de Santarém, Altamira e Itaituba, os quais já receberam visitas e onde foram realizadas atividades de capacitação.

“A primeira coisa que a gente tem que entender é que não existe um só caminho, por isso que vamos em algumas localidades para entender qual sua demanda. O que a gente sabe é que a média produtiva da pecuária brasileira é muito baixa, e na maioria dos lugares há um subaproveitamento das áreas de pasto, mas que com técnicas relativamente simples você consegue aumentar a produtividade, dando condições necessárias, assistência técnica e acesso a recursos aos produtores. Entendemos que a melhoria produtiva é um dos caminhos para você manter o produtor no campo, melhorar a questão ambiental, social e econômica e se manter competitivo no mercado de trabalho”, concluiu Marcelo Marcelo Stabile, pesquisador do IPAM.