Casa Militar capacita profissionais para uso de armamento de longo alcance

30/10/2019 17h11 - Atualizada em 30/10/2019 19h25
Por Larissa Noguchi (SECOM)

O treinamento é voltado a profissionais que trabalham com a segurança do chefe do ExecutivoPara capacitar cerca de 50 militares, divididos em três turmas, a Casa Militar do Governo do Pará realiza um curso, nesta quarta (30) e quinta-feira (31), para treinar os militares que trabalham diretamente com o serviço de segurança de autoridades da Governadoria. A capacitação é realizada no Clube de Tiro de Belém, parceiro da Polícia Militar. Recentemente, a PM do Pará adquiriu fuzis de modelo T4 Taurus calibre 556, para utilização em operações especiais. Esse armamento já é utilizando em forças internacionais e operações específicas de segurança máxima.

Tenente-coronel Cássio Tabaranã, diretor de Operações da Casa Militar, esclareceu que esse tipo de treinamento só será usado em situações específicasO diretor de Operações da Casa Militar, tenente-coronel Cássio Tabaranã, esclareceu que esse tipo de treinamento é voltado para militares que trabalham com a segurança do chefe do Executivo, e só será usado em situações específicas. “É importante manter sempre a equipe atualizada, pois de tempos em tempos, novas práticas e doutrinas surgem com relação à segurança de autoridade. Estamos treinando, e será usado dependendo do local e nível de perigo de determinada visita do governador ou qualquer autoridade”, ressaltou.

Um sargento que trabalha há 27 anos na segurança militar e participa do treinamento, falou sobre a importância de capacitações que atualizam o uso do armamento. “Esse treinamento é voltado para segurança de autoridade, que é a nossa aérea. Precisamos saber usar esse armamento, sem erros, para que possamos desempenhar nossa função”, afirmou o militar.

O curso é realizado no Clube de Tiro de Belém, parceiro da Polícia Militar

Conteúdo - O curso inclui simulação de situações perigosas, apresentação de características específicas do armamento, manutenção, desmontagem de armamento e treinamento direto de tiro. “A habilitação vem de conhecimentos passados. O aluno já vem com uma gama de conhecimentos passados sobre armamento, e agora, com o curso, eles passam a ter a capacitação para este modelo específico”, acrescentou o capitão Henrique Bechara, instrutor do curso.Capitão Henrique Bechara, instrutor do curso que capacita cerca de 50 militares

Até o final do ano estão previstas capacitações para outros modelos de armamentos longos, que possibilitarão aos profissionais um leque operacional e adequação às variáveis de qualquer operação, tanto na capital quanto no interior.