No Pará, combate a roubos a bancos é intensificado e números caem 32%

22/10/2019 22h55 - Atualizada em 23/10/2019 00h07
Por Aline Saavedra (SEGUP)

O roubo a agências bancárias diminuiu 32%, em comparação ao ano anterior, no período de janeiro a 22 de outubro, em todo o Estado do Pará. A agilidade e a integração entre as instituições que compõem o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Sieds) resultam no rápido acionamento e emprego das forças de segurança, a fim de intervir nos casos e conseguir a liberação de todos os reféns, quando existentes.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) tem atuado com medidas de prevenção para este tipo de crime, por meio de inteligência e modernização, o que vem reduzindo casos de roubo e furto em todas as suas modalidades. Resultado das ações integradas é a redução de 46% e 8% nos casos de furtos e roubos a estabelecimentos bancários, respectivamente; 54% e 24% de furtos e roubos em instituições não bancárias (casa lotérica, Correios e transporte de valores), e do roubo na modalidade novo cangaço, com queda de 13%.

No roubo à agência bancária em Jacundá, no sudeste paraense, nesta terça-feira (22), os acusados utilizaram a modalidade novo cangaço, caracterizada pelo crime ser cometido por dezenas de pessoas, que invadem cidades pequenas (geralmente bloqueando as entradas do município, cercando delegacias e destacamentos da Polícia Militar), com o objetivo de roubar o banco local (às vezes, mais de um). É característica também da ação utilizar pessoas como escudo humano.

O gerente da agência bancária de Jacundá e duas pessoas que foram feitas reféns já prestaram depoimentos na delegacia municipal. Dois veículos utilizados na ação foram encontrados no ramal Pitinga, um incendiado e outro com utensílios utilizados na ação. Participam do cerco ao bando equipes do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), Comando de Operações Especiais da Polícia Militar, Delegacia de Repressão a Roubo a Bancos e Antissequestro, vinculada à Polícia Civil, e outros órgãos do Sieds.

O secretário Ualame Machado ressaltou também o aumento na elucidação de crimesElucidação – Esclarecimentos de crimes, com a identificação e prisão dos acusados de envolvimento na prática de roubos a bancos e carros fortes, também registram resultados positivos. Este ano, 67% dos crimes já foram elucidados. Segundo o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, o trabalho de combater esse tipo de crime continuará, com o propósito de reduzir ainda mais o número das ocorrências e agir de maneira correta diante de uma situação extrema.

“O número de casos em 2019 não é o número ideal, não é o número que a gente julga dentro da normalidade, mas é um número ainda menor que do ano de 2018. Reconhecemos que precisamos melhorar ainda mais, pois estamos diante de organizações voltadas para este tipo de crime. Por outro lado, a gente tem conseguido organizar estratégias de integração e combate a essas organizações, haja vista que mais de 60% destes tipos de crimes foram elucidados. Temos ainda a atenção de como lidar com as ocorrências que requerem estratégias próprias, como não reagir enquanto estiver ocorrendo, e após a ação localizar e prender os envolvidos, tudo para garantir a integridade da população e dos reféns”, explicou o titular da Segup.