Médicos humanizam a profissão e exercem amor ao próximo no Hospital Gaspar Viana

18/10/2019 15h42 - Atualizada em 18/10/2019 16h28
Por Jackie Carrera (SECOM)

O reconhecimento ao profissional que é responsável por cuidar das pessoas

São 38 anos de medicina e ela ainda tem o brilho nos olhos ao falar da missão que escolheu. “É uma profissão maravilhosa. A gente trabalha com a alma das pessoas. Porque a gente fica aqui cuidando do amor de alguém”. 

As palavras, quase poéticas, são da doutora Maria José Leão Lima, Chefe da UTI Pediátrica do Hospital de Clínicas Gaspar Viana, em Belém. A médica só conseguiu expressar a paixão pela profissão depois de um breve silêncio emocionado trazido pelo nó na garganta e as lágrimas que caíram imediatamente. 

Neste dia 18 de outubro, no qual é comemorado o dia de São Lucas, médico apóstolo que cuidava dos pobres e necessitados, é também a data que homenageia os médicos. Estes profissionais tão fundamentais para a saúde de todos, que estão de peito aberto para enfrentar a dor do outro e cuidar do próximo. “Cada mãe que sai daqui (UTI pediátrica) sai com a esperança de voltar e receber o filho de volta. É uma responsabilidade muito grande. Trabalhamos com crianças em estado muito grave. Não é fácil. Mas a recompensa, que nenhum dinheiro paga, é entregar esse filho pra sua mãe, salvo”, diz a doutora Maria José. 

″A recompensa, que nenhum dinheiro paga, é entregar esse filho pra sua mãe, salvo″, conta a médica Maria José.

Enquanto muitos de nós preferimos, em nome da saúde, passar longe de um hospital, os médicos se sentem realizados de estar ali exercendo sua vocação. Talvez por isso, a filha tenha deixado a faculdade de Direito para se tornar médica também. 

Marília Lima faz residência ao lado da mãe, no Hospital de Clínicas. Mas sua ala é a enfermaria pediátrica. Ela ressalta que acompanhar de perto o sofrimento de um paciente testa o emocional do médico. Mas não se arrepende da decisão que tomou. “Eu tinha medo de seguir os passos da minha mãe. Fui assistir a uma palestra que ela dava numa feira vocacional. Fiquei impressionada. Quando cheguei em casa, falei que não sentia a mesma coisa pela profissão que eu tinha escolhido. Decidi fazer medicina e hoje me sinto realizada”. 

Marília Lima decidiu seguir os passos da mãe Maria José e exercer com amor a medicina.

E toda a dedicação de um médico é reconhecida por quem deve a vida para estes profissionais.  Fábia Bastos, de 19 anos, natural de Ourilândia do Norte, é um exemplo disso. Ela deve a vida da filha, a pequena Laura, uma bebê de 5 meses que é recém-operada do miocárdio e está internada na UTI pediátrica do HC. 

“A doutora Maria José é ótima. Ela tranquiliza a gente. Todos os dias, de manhã e de tarde, ela tá aqui na UTI. Agradeço demais o trabalho dela e da equipe”, diz Fábia, que em seguida abraça a doutora e a parabeniza pelo dia do médico.

Excelência Máxima 

Não é à toa que a dedicação desses profissionais e de toda uma equipe multiprofissional faz da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Viana uma referência no tratamento de pacientes cardiovasculares, renais crônicos e psiquiátricos. 

O HC é considerado o quarto melhor hospital do Brasil, por ter recebido, em setembro deste ano, o Selo de Excelência Máxima do “Programa de Qualidade Boas Práticas Clínicas em Cardiologia”. O Selo Platinum, é a máxima distinção concedida a centros de saúde que mantiveram um alto desempenho clínico durante 24 meses consecutivos em mais de 85% dos atendimentos de pacientes com infarto. Isso tudo com base nas melhores práticas assistenciais recomendadas por diretrizes internacionais. 

Essa é uma iniciativa internacional da “American Heart Association”, em parceria com o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Cardiologia e Hospital do Coração de São Paulo.  A premiação, que coloca o hospital entre os quatro melhores do Brasil em sua categoria, aconteceu durante o 74º Congresso Brasileiro de Cardiologia 2019, realizado em Porto Alegre.