Alunos de Capitão Poço conhecem a Estação de Tratamento da Cosanpa

Universitários do curso de Biologia da Ufra acompanharam todo o processo tratamento de água

16/10/2019 11h17 - Atualizada em 16/10/2019 12h56
Por Tayná Horiguchi (COSANPA)

Estudantes estiveram acompanhados por professores da instituição, localizada no nordeste paraensePor mês, dezenas de instituições de ensino visitam a Estação de Tratamento de Água (ETA), do Complexo Bolonha, em Belém, em uma parceria com a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa). A intenção é mostrar para os estudantes como funciona, na prática, o processo de tratamento. Na terça-feira (15), universitários do curso de Biologia, do campus de Capitão Poço da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), tiveram essa oportunidade.

Acompanhados das professoras, 35 alunos vieram do município, localizado no nordeste paraense, distante cerca de 200 quilômetros da capital. “É uma experiência muito boa. Estou fazendo essa disciplina de poluição ambiental e água subterrânea. A gente estuda muito sobre esse tema e estamos vendo como a água potável é levada para a casa das pessoas”, disse o universitário Samuel Batista.

A visita começa no auditório do Complexo com uma explicação sobre como funciona o processo de tratamento. Em seguida, os alunos vão até a ETA ver de perto o caminho que a água percorre, desde a captação no Rio Guamá até o bombeamento para os setores de abastecimento. O químico de controle de qualidade da Cosanpa, José Carlos de Oliveira, é o responsável pelas instruções durante a visita.

José Carlos de Oliveira, da Cosanpa, explicando etapas aos alunos“Eles aprendem o processo de tratamento de água que fazemos aqui no Bolonha. Passamos o máximo de informação. O tratamento da água em Capitão Poço é diferente, porque lá a captação é feita por poço. Já aqui, a captação é feita no rio”, explicou o funcionário.

De acordo com a professora de águas subterrâneas, Tácia Takashima, da Ufra, a visita é importante para que os alunos vejam na prática o que aprenderam em sala de aula.

“Vendo uma das formas de tratamento, eles visualizavam a diferença da água bruta da que sai daqui para consumo. Ver isso na prática, todo o processo, é fundamental para alunos que estão em formação”.

(Tácia Takashima, professora)

A Estação de Tratamento Bolonha é responsável pelo abastecimento de 65% da Região Metropolitana de Belém. A captação da água é feita no Rio Guamá, passa pelos lagos Bolonha e Água Preta antes de chegar à Estação. O processo de tratamento consiste na decantação, filtração e adição de produtos químicos até o bombeamento para os setores de abastecimento e a chegada da água tratada nas residências. Atualmente, parte do serviço passa por reforma para duplicar a capacidade de produção, em um investimento de R$ 153 milhões.

“Como estudante de Biologia, eu acho que essa visita na Cosanpa vai nos fazer entender a questão do tratamento da água, tanto a questão primária de distribuição quanto o próprio tratamento dos efluentes depois. Aqui no Pará, a Cosanpa é quem faz os dois tratamentos. Como biólogo, é importante pra quem quer atuar nessa área ambiental, ter esse conhecimento e já se familiarizar com esses processos que ocorrem no tratamento da água e dos efluentes”, concluiu o universitário David Costa.

Para agendar visitas na Estação Bolonha, é necessário entrar em contato com o setor de Programas Sociais da Cosanpa, pelo telefone 3202-8427.