Hospital Metropolitano encerra participação no Círio com mais de 230 atendimentos

13/10/2019 14h21 - Atualizada em 13/10/2019 18h43
Por Dayane Baía (SECOM)

A equipe do Hospital Metropolitano atuou em parceria com voluntários da Cruz VermelhaO posto de atendimento médico avançado do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), montado na Avenida Presidente Vargas, em Belém, encerrou as atividades com 239 pessoas atendidas durante o Círio de Nazaré, na manhã deste domingo (13). Em três dias de atividades, a unidade de saúde do Governo do Pará prestou atendimento aos promesseiros durante o traslado para Ananindeua, a Romaria Fluvial e o Círio.

Neste domingo, o atendimento foi realizado em parceria com a equipe da Cruz Vermelha, que contou com 21 postos de assistência durante o trajeto, sendo um deles em parceria com o Hospital Metropolitano. Enquanto os voluntários da Cruz Vermelha faziam o resgate de romeiros que passavam mal, a equipe do HMUE se concentrava nos atendimentos. Além disso, a unidade forneceu todo o suporte básico, como medicamentos, medidor de pressão arterial e material para tratamento de traumas, queimaduras e primeiros socorros. "Tivemos mais de um mês para planejar a estrutura, organizar e treinar a equipe", explicou Leonardo Costa, coordenador do Departamento de Ensino e Pesquisa do HMUE.

Serviços de resgate e atendimento foram oferecidos aos romeirosInstalado próximo à curva da Presidente Vargas com o Boulevard Castilhos França, o posto ficou em um ponto crítico da procissão, principalmente para os promesseiros que acompanharam na corda. "Mesmo assim, não tivemos grandes problemas por conta desse suporte do Metropolitano. A qualidade multiprofissional é diferenciada", ressaltou o vice-presidente da Cruz Vermelha no Pará, Antônio Graim.

Fácil acesso - Apenas no posto, montado desde 5 h, foram atendidas 13 pessoas. O vigilante Marcos Mota foi o primeiro a receber os cuidados após uma viagem que durou quatro horas. Oriundo do município de Bonito, no nordeste do Estado, ele disse que foi sua primeira participação no Círio. "Senti tontura e perguntei sobre atendimento. Foi fácil encontrar o posto. Verificaram minha pressão. Se não der para acompanhar, vou ver a passagem da imagem na esquina", acrescentou Marcos Mota, enquanto recebia o atendimento.

Antes das 09 h o posto foi desmontado, e a equipe distribuída para outros locais estratégicos. Segundo Antônio Graim, a parceria com a gestão do Hospital Metropolitano e o governo do Estado tem dado certo. "Há mais de cinco anos, contamos com esse apoio, e queremos ampliar para o ano que vem, também na Trasladação", adiantou.

Os profissionais atuaram em 21 postos de assistência durante o trajetoO trabalho no posto encerrou as atividades do HMUE nesta edição do Círio. "Estamos felizes em concluir mais uma vez o atendimento após três dias de romarias. Percebemos que o evento está cada vez mais organizado. Também tivemos um número menor de pessoas com necessidade em cuidados de saúde. Significa que estão tomando mais precauções para aproveitar o evento", informou Leonardo Costa.

Traslado e Círio Fluvial - Equipes do Hospital Metropolitano também atuaram em parceria com o Exército Brasileiro e a Cruz Vermelha na manhã de sábado (12), durante a Romaria Fluvial. Realizado há mais de 30 anos em Belém, o “Círio das Águas” contou com o apoio da Balsa de Atendimento Médico Especializado que, segundo balanço oficial após o término da romaria, não foi acionada para realizar atendimentos graves. A balsa estava equipada com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dispondo de ventiladores mecânicos, desfibriladores e monitores, além de médicos, equipe de enfermagem e fisioterapia, e materiais para intubação.

Na sexta-feira (11), no posto do Hospital Metropolitano, na Rodovia BR-316, ofereceu aos romeiros curativos, verificação de pressão arterial, teste de glicemia e avaliação de lesões nos membros inferiores. Em alguns casos, as equipes também aplicaram medicamentos e massagens, e forneceram água e lanches. Foram realizados 226 atendimentos para romeiros oriundos de vários municípios.

Referência no tratamento de média e alta complexidade em traumas e queimados para a região Norte, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusiva para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI. O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, de outros municípios do Pará e também de vários estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.