Sem acidentes graves, centenas de embarcações participam da Romaria Fluvial

12/10/2019 18h20 - Atualizada em 12/10/2019 19h34
Por Leonardo Nunes (HMUE)

Realizado há mais de 30 anos em Belém, o percurso do Círio das Águas contou com apoio da Balsa de Atendimento Médico Especializado.Equipes do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) atuaram em parceria com o Exército Brasileiro e a Cruz Vermelha na manhã deste sábado (12), durante mais uma edição da Romaria Fluvial. 

Realizado há mais de 30 anos em Belém, o percurso do Círio das Águas contou com apoio da Balsa de Atendimento Médico Especializado que, segundo balanço oficial realizado após o término da romaria, não foi acionada para realizar atendimentos graves. A balsa esteve composta de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dispondo de ventiladores mecânicos, desfibriladores e monitores, além de médicos, equipe de enfermagem e fisioterapia, e materiais para intubação.

“Tem quatro anos que atuamos no apoio da Romaria Fluvial. No ano passado, fomos acionados quando houve um acidente entre duas embarcações. Na oportunidade, atendemos 18 pessoas, mas sem vítimas fatais. Felizmente, esse ano não houve acidentes e necessidade de atendimentos médicos em nossa unidade”, ponderou o coordenador do Departamento de Ensino e Pesquisa do HMUE, Leonardo Costa. 

Romaria Fluvial - Mantendo a tradição,  a Romaria Fluvial partiu do trapiche de Icoaraci tendo como destino a Escadinha da Estação das Docas. Nesta procissão, a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi conduzida em uma redoma de vidro por uma embarcação da Marinha do Brasil, que também faz a organização e controle de toda a romaria. 

De acordo com os organizadores, a estimativa de público participante foi de 50 mil pessoas ao longo do trajeto. Foram percorridos quase 10 milhas marítimas, equivalente a 18,5 km. A duração da romaria foi de cerca de duas horas e meia.

Sobre o HMUE - Referência no tratamento de média e alta complexidades em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), dispõe de 198 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusiva para pacientes vítimas de queimaduras, além de leitos de UTI. 

O HMUE recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, de diferentes municípios do Pará e também de outros estados. Em 2018, realizou mais de meio milhão de atendimentos, entre internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais.