HGT alerta seus públicos sobre prevenção da depressão

12/10/2019 12h11 - Atualizada em 12/10/2019 16h07
Por Cleyton Rogério (HGT-Tailândia)

Ação faz parte das iniciativas do hospital pela campanha Setembro Amarelo. Ficar atento para alguns fatores de riscos que podem identificar a depressão em uma pessoa da família ou do círculo de amizade ou do trabalho foram algumas das orientações repassadas pela psicóloga Nayara Siqueira, durante palestra ministrada nesta sexta-feira (11) nas áreas de atendimento e auditório do Hospital Geral de Tailândia (HGT)

A ação faz parte das iniciativas ainda pela campanha Setembro Amarelo. Entre o que deve ser observado, a profissional destacou o isolamento social, perda de interesse nas atividades que antes gerava prazer, consumo excessivo de álcool e outras substâncias químicas, instabilidade e agressividade constantes. 

A palestra integra a programação de ações de educação em saúde desenvolvida pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP), com apoio do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) da unidade hospitalar. O intuito é de contribuir para maior conscientização sobre a manutenção da saúde mental de colaboradores, usuários e acompanhantes, destacando a importância de ações preventivas para reduzir os casos de depressão e de suicídios no Brasil e em outros pais do mundo.

Cerca de 80 pessoas participaram dos debates, que tiveram o tema “Vamos falar de suicídio”. Durante o bate papo, Nayara enfatizou que o tema é de interesse geral. “A prevenção é o melhor caminho. Temos que falar sobre o assunto, sobre suicídio. Temos que nos dar as mãos e buscar ajuda nesse momento”.

Segundo ela, das doenças mentais, os mais comuns são a depressão, ansiedade, transtorno bipolar. Por isso, a psicóloga alerta ainda para a observação do pedido de socorro mesmo com a comunicação não verbal, através de gestos, olhar e a relutância em falar sobre o assunto. “Temos que estar atentos e juntos para ajudar quem necessitar”, deu a dica.

Durante a ação, a profissional destacou índices preocupantes registrados no Brasil, onde ocorrem aproximadamente 12 mil casos de suicídios. No mundo, esse número sobe para cerca de um milhão, com a predominância entre o segmento jovem.

Para a enfermeira do NEP, Ana Paula Santos, falar sobre esse tema é muito importante tanto para a sociedade como também para o trabalhador da saúde que atua diariamente com pessoas debilitadas e com problemas pessoais. “Querendo ou não, acabamos absorvendo um pouco de tudo isso. Cuidamos dos outros e, muitas vezes, esquecemos de cuidar da gente. Temos que buscar ajuda também para quem cuida dos outros”.

Segundo o site do “Setembro Amarelo”, dos casos notificados no país, mais de 90% estão relacionados a transtornos mentais e a depressão lidera esse triste ranking, seguido do transtorno bipolar. Para maior entendimento, transtornos mentais são disfunções no funcionamento da mente, que podem afetar qualquer pessoa e em qualquer idade e, geralmente, são provocados por complexas alterações do sistema nervoso central.

O HGT é uma unidade do governo do estado e 100% Sistema Único de Saúde (SUS), que presta assistência de baixa e média complexidade para uma população estimada em aproximadamente 300 mil habitantes.

Serviço: A unidade fica na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121.