Governo reforça importância da ciência e tecnologia para o desenvolvimento regional

03/10/2019 22h00 - Atualizada em 03/10/2019 23h27
Por Larissa Noguchi (SECOM)

Nos laboratórios do PCT Guamá, o governador Helder Barbalho reforçou o apoio do Estado à produção científicaDe projetos que levam internet e telefonia para longas distâncias pelo Pará a soluções tecnológicas que pesquisam o cacau na Amazônia, a visita do governador Helder Barbalho ao Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, foi uma jornada pelas possibilidades que a tecnologia e a inovação oferecem à humanidade. Durante a tarde desta quinta-feira (3), Helder Barbalho, acompanhado do vice-governador Lúcio Vale, de secretários de Estado e professores da UFPA, conversaram sobre projetos desenvolvidos no PCT Guamá e propostas que podem ser implementadas em várias áreas, com destaque para a segurança pública.

O PCT Guamá é o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia, para a produção de ciência e tecnologia na região. Flávio Mendes, mestrando em Engenharia Elétrica, disse que a presença de um governador fortalece o apoio às ações científicas. “A visita do governador ao laboratório demonstra interesse do Estado no nosso trabalho. Esse, por exemplo, pode ser implantado onde a ação humana não é possível atuar”, disse o mestrando sobre o projeto de drones para inspeção visual, como monitoramento de áreas fechadas em florestas.

Visita ao PCT Guamá,o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na AmazôniaHoje, o PCT Guamá conta com 54 empreendimentos residentes. De janeiro de 2018 a agosto de 2019, o número de empresas residentes triplicou, gerando cerca de 400 empregos. As empresas atuam nas áreas de automação e equipamentos, construção civil, biodiversidade, biotecnologia, geoinformação, bebidas, alimentos, sanidade animal, educação, finanças, gemas e joias, comunicação e marketing, e energia.

Evolução - Segundo a coordenação do Parque, a parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), contribuiu para o aumento na geração de emprego, investindo na produção de soluções tecnológicas para a região. “Investimento em ciência e tecnologia é fundamental para a evolução de uma sociedade. No caso, nós estamos numa região periférica, e muito podemos investir em tecnologia local e gerar mais benefícios”, ressaltou Rodrigo Quites, diretor da Fundação Guamá, gestora do PCT.

Para o titular da Sectet, Carlos Maneschy, a presença do governador fortalece o interesse do Estado nos investimentos para o PCT. “Uma sinalização clara não só para os que estão aqui, como para a sociedade civil, do interesse e da importância do Parque. Aqui é o espaço onde as ideias podem prosperar. E a visita do governador mostra o interesse em abrir investimentos para que a gente possa ampliar o que é produzido”, ressaltou.Helder Barbalho esteve no PCT Guamá acompanhado de secretários de Estado e professores da UFPA

Joias e softwares - Além da visita aos laboratórios de pesquisa nas áreas de tecnologia, automação e biodiversidade, o governador conheceu duas empresas instaladas no PCT. Uma é de joias, que podem ser produzidas em grande escala. A produção é feita por geólogos e ourives (profissionais que trabalham os metais nobres da joalheria), com um resultado muito bom usando impressão 3D.

A outra empresa desenvolve softwares e programas para escolas, deixando os alunos mais conectados, usando a realidade virtual dentro do processo educacional. “Primeiro, pude ver todas as vertentes que estão aqui sendo exploradas, e reafirmar a crença que a ciência e a pesquisa podem fazer a diferença no Pará. Isso tudo faz do PCT Guamá uma referência valorizada pelo nosso governo”, garantiu o governador.