Luta de trabalhadores rurais é resgatada em livro na 1ª Festa Literária de Marabá

26/09/2019 14h22 - Atualizada em 26/09/2019 14h47
Por Ailson Braga (IOE)

A Imprensa Oficial do Estado lança nesta quinta-feira (26), às 19h, em seu estande na 1ª Festa Literária de Marabá, o livro “A Colônia União e a Luta Pela Terra na Rodovia Belém-Brasília”, escrito por Marcos Carmo de Almeida. Trata-se de uma obra que resgata o conflito agrário de uma ocupação ocorrida na rodovia Belém-Brasília, que entrou para a história do movimento da luta pela terra entre as décadas de 80 e 90.

O pesquisador e autor de “A Colônia União”, também participa de uma Roda de Conversa sobre o livro no estande da Ioepa. O livro foi lançado este ano pela Imprensa Oficial do Estado, durante a 23ª Feira do Livro e Multivozes, em Belém do Pará.

O escritor, natural do município de Ipixuna do Pará, conta que sempre teve vontade de trabalhar com a questão do conflito agrário. Marcos Carmo de Almeida disse que a ideia para o livro começou quando cursou a especialização em História Agrária, na Universidade Federal do Pará (UFPA).

 “Comecei a fazer a pesquisa a partir da história oral, jornais e documentos da Justiça e de órgãos da administração pública, e pensei que daria um livro relevante. A Imprensa Oficial surge, então, com a parceria ideal para concretizar o lançamento do meu primeiro livro, dando oportunidade para a obra chegar ao grande público”, destacou o autor.

No livro, Marcos narra todas as histórias, as vitórias nos tribunais e políticas, os confrontos entre os agricultores e os fazendeiros, conflitos armados entre agricultores, posseiros e a polícia, quando esta ia fazer reintegração de posse.

“Uma história muito rica que felizmente e com a parceira inestimável a Ioepa, estamos disponibilizando para o público, já que se trata de uma obra única, em termos de livro publicado sobre o tema. Existem dissertações e pesquisas sobre o mesmo assunto, mas publicado é o único que há sobre a Colônia. Além disso, o livro trata a Amazônia a partir do olhar de quem está dentro da região. Temos uma história muito rica que está apenas na memória e que temos que resgatar isso para fortalecer a nossa identidade”, opinou o escritor.

O autor avaliou que, apesar de ser tratar de um trabalho acadêmico, a linguagem do livro foi pensada para um público amplo, e afirmou que os leitores não vão encontrar no livro reflexões teóricas a respeito da historiografia. Marcos afirma não colocar o latifúndio como o grande vencedor da luta, já que o movimento de ocupação é permanente naquela região do Pará, além de não utilizar o discurso de vitimização dos trabalhadores rurais.

“Eu coloco os trabalhadores como protagonistas, com acertos e erros. Os posseiros se armavam para a luta na Justiça, na política e no confronto direto”, definiu o escritor.

Serviço: O livro “A Colônia União e a Luta Pela Terra na Rodovia Belém-Brasília” será lançado nesta quinta-feira (26), às 19h, e o autor fará um debate sobre as feituras da pesquisa e do livro. A publicação está à venda no estande da Imprensa Oficial do Estado, na 1ª Festa Literária de Marabá, que ocorre até o dia 29, de 10 às 22h, no Carajás Centro de Convenções.