Produtores de cacau pedem apoio ao Estado para construção de indústria

24/09/2019 13h52 - Atualizada em 24/09/2019 16h51
Por William Serique (SECOM)

O governador Helder Barbalho ouviu a solicitação e encaminhou os produtores para um encontro com os órgãos estaduais e determinou que as demandas fossem analisadas. Após vencerem o concurso “Chocolate de Origem da Amazônia” no último domingo (24), no encerramento do Festival Chocolat Amazônia 2019, produtores de cacau de Novo Repartimento estiveram no Palácio do Governo, em Belém, nesta terça-feira (24). O objetivo do encontro foi pedir apoio para a construção de uma mini indústria de amêndoas e agradecer pela oportunidade vivenciada no festival, realizado no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.

Os agricultores Valdoney da Silva, Dorvanio Sales e José Silva são dos assentamentos de Tuerê e Pacajazinho. A reunião também contou com a presença do técnico da secretaria de agricultura de da prefeitura de Novo Repartimento, Pedro dos Santos. O governador Helder Barbalho ouviu a solicitação e encaminhou os produtores para um encontro com os órgãos estaduais e determinou que as demandas fossem analisadas. Helder parabenizou ainda a classificação dos trabalhadores no festival e a produção de cacau no município.

José Silva Rosa, produtor de cacau do assentamento de Tuerê, destacou a importância da participação na feira e do encontro com o governador. “Para mim, participar da feira foi uma experiência espetacular. No ano passado, eu também vim e, a cada participação, aprendo alguma coisa nova. A importância de estar aqui hoje com o governador é saber que ele está sempre atento às demandas dos que mais precisam e para poder pedir mais atenção para o cacau, que evoluiu bastante no nosso município”.

O técnico Pedro dos Santos afirmou que a participação dos produtores no festival contribui para que eles tenham uma visão de que precisam produzir uma amêndoa de qualidade e, assim, possam acessar um mercado maior. “Nós agradecemos ao Estado por estar proporcionando uma parceria com os produtores de Novo Repartimento, que vem se estreitando com a Sedap - Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca - e a Ceplac - Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira -, além da Solidaridad, Coopercau e a Secretaria de Agricultura do município. Essa parceria será muito forte”, disse.

Disputa – O concurso “Chocolate de Origem da Amazônia”, que tem o objetivo de fomentar o mercado do cacau e chocolate na região, encerrou com o assentamento Tuerê, em Novo Repartimento, sendo o maior vencedor. Das seis categorias, levou cinco, sendo duas de chocolate ao leite e três de chocolate intenso.

Ao todo, 25 marcas que usam o cacau do Pará participaram do concurso. Para vencer, foi necessário seguir os seguintes critérios: para o chocolate ao leite bean to bar, seria preciso ter entre 35% até 50% de sólido de cacau; o chocolate bean to bar intenso deveria ter 60% até 85%, ser produzido por expositores pelo Festival Chocolat Amazônia 2019 e em países que compõem a Amazônia Internacional da Torra, até a Têmpera e amêndoa de origem rastreável.

Vencedores

Categoria chocolate bean to bar ao leite:

- 1º lugar: Valdomiro, Casa Lasevicius, de Tuerê

- 2º lugar, Rosilene, Casa Lasevicius, de Tuerê

- 3º lugar, Gutzeil Chocolates, de Uruará.

Categoria chocolate bean to bar intenso:

- 1º lugar, Chiquinho, Casa Lasevicius

- 2º lugar, Valdomiro, Casa Lasevicius

- 3º lugar, Rosilene, Casa Lasevicius, todos de Tuerê.