Internas da Fasepa fazem visita pedagógica ao IFPA de Castanhal

13/09/2019 13h55 - Atualizada em 13/09/2019 14h18
Por Alberto Passos (FASEPA)

Nem mesmo as circunstâncias pessoais e sociais de privação de liberdade, vivenciadas por adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Pará, as impedem de participar de diversas ações pedagógicas inclusivas que concorrem para a promoção do processo reflexivo na busca por escolhas mais responsáveis. Assim, sete internas do Centro Socioeducativo Feminino (Cesef) visitaram, na quinta-feira (12), as instalações do Instituto Federal do Pará (IFPA), do município de Castanhal, no nordeste paraense.

A programação é um desdobramento da “I Mostra Vocacional”, realizada em março desse ano fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estando de Educação (Seduc) e a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa). Tais ações tem por objetivo proporcionar que as alunas conheçam profissões nas áreas tecnológicas e as graduações, e também participem de oficinas, rodas de conversa com palestras para que desenvolvam senso crítico e participem das discussões do processo educacional construtivo no qual estão inseridas.

Na oportunidade, as jovens foram convidadas a participar de um debate com os alunos que integram o Grêmio Estudantil do IFPA, onde conversaram sobre o atual momento político, social e econômico do país; sobra suas expectativas futuras e de que forma elas se veem inseridas nesse contexto. Outro fato interessante durante o encontro, foi quando as jovens verbalizaram que aquela visita representava “como se fosse um tapa na cara". "Ver que esses jovens estão estudando, melhorando o seu futuro e nós fazendo um monte de besteira quando estávamos na liberdade”, disse uma interna.

“Eu achei muito bonito ver outros jovens assim como eu, com a mesma idade que a minha, saindo de casa para buscar oportunidades nos estudos. Então é legal ver o foco e o objetivo que eles têm na vida”, ressaltou efusiva uma adolescente ao ver a dinâmica dos alunos e as instalações físicas do espaço do IFPA.

Para que as jovens participem das atividades pedagógicas, são observados alguns critérios técnicos avaliativos como as fases da medida socioeducativa em que estão inseridas, onde a equipe multidisciplinar da Fasepa leva em consideração questões comportamentais, respeito, disciplina, reflexão, projeto de vida, escuta empática, participação da família, desempenho na escolarização e outros. Além disso, os professores da Seduc também desempenham um papel importantíssimo na formação educacional e intelectual dos jovens privados de liberdade.

A visita ao IFPA foi acompanhada pelo engenheiro agrônomo Acácio Moreira, que as levou para conhecer o Parque de Exposição Pedro Coelho da Mota onde as moças aprenderam sobre quais são as atribuições da profissão, a rotina, os desafios e tiveram contato com alguns animais. “A gente avalia de forma bastante positiva a participação das jovens nessa atividade, porque nós percebemos a expressão de satisfação e alegria delas ao chegar aqui”, pontuou Acácio.

Segundo a professora da Seduc que atua no Cesef, Socorro Vale, estão previstas outras ações como palestras motivacionais com outros profissionais, aulas externas que desenvolvam a psicomotricidade, contextualização de alguns assuntos com viés na mediação de conflitos na busca de soluções de eventuais problemas.