Muaná: 500 toras de madeira são apreendidas durante operação

12/09/2019 12h44 - Atualizada em 12/09/2019 12h59
Por Walrimar Santos (PC)

A Polícia Civil do Pará deflagrou uma operação de combate ao desmatamento ilegal na zona rural de Muaná, na Ilha do Marajó. Três pessoas, que estavam responsáveis por uma serraria clandestina, foram detidas. No local foram apreendidas mais de 500 toras de madeira. Do total, 200 toras estavam em formato bruto e outras 300 já haviam sido beneficiadas (passaram por processo de acabamento). O crime ambiental foi constatado na quarta-feira (11). Segundo o delegado Guilherme Gonçalves, titular da Delegacia de Muaná, a ação policial foi realizada de forma conjunta com a Secretaria Municipal de Meio-Ambiente (SEMMA) da Prefeitura local, na região do Rio Tatuoca, ente os rios Muaná e Baixo Rio Atuá.

No local foram detidos: José Santos Moraes, Marinaldo Gouvea Moraes e José Augusto Santana Moraes, todos da mesma família. O delegado detalha que a operação foi deflagrada após recebimento de denúncia sobre o funcionamento da serraria ilegal no interior do município. Liderada pelo delegado, a equipe policial formada por um investigador e dois fiscais da SEMMA foram até o rio Tatuoca.

Nessa região, os agentes encontraram inicialmente a madeira que foi apreendida e depois destinada à Secretaria Municipal de Meio-Ambiente para a construção de pontes e escolas no município. As pessoas encontradas no local foram autuadas por corte ilegal de madeira em Unidade de Preservação Permanente (Marajó) e irão responder ao processo judicial em liberdade.