Seminário debate desenvolvimento e educação de crianças até 6 anos

12/09/2019 09h16 - Atualizada em 12/09/2019 11h05
Por Camila Santos (SEASTER)

Evento discute a primeira infância e o fortalecimento das famílias para o cuidado e proteção até os 6 anos de idadeA Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) promove, até sexta-feira (13), um seminário sobre o Programa Primeira Infância no SUAS, com objetivo de debater o desenvolvimento integral de crianças na primeira infância e fortalecer as famílias para o cuidado, proteção e educação de crianças até 6 anos. O evento ocorre no auditório do Centro Regional de Governo do Tapajós, em Santarém.

O seminário reúne gestores municipais, técnicos do Centro de Referência de Assistência Social/CRAS, além de coordenadores e representantes das políticas de educação e saúde dos municípios de Santarém, Belterra, Curuá, Faro, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Terra Santa e Itaituba.

O Programa Criança Feliz/Primeira Infância no Sistema Único de Assistência Social - SUAS tem como objetivo promover o desenvolvimento humano, a partir do apoio integral voltado à criança na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. Atualmente, 118 municípios estão com adesão ativa ao programa e 116 já atendem ribeirinhos, populações indígenas e quilombolas, levando ações do governo do Estado, por meio da Seaster, que coordena as atividades no Pará.

Representantes de Santarém, Belterra, Curuá, Faro, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Terra Santa e Itaituba estão presentesA iniciativa do Criança Feliz assegura os direitos das famílias em vulnerabilidade social, mas, acima de tudo, estimula o desenvolvimento das crianças nos primeiros mil dias de vida, período em que elas desenvolvem a maioria das suas competências.

O coordenador estadual, Antônio Sena, diz que o intuito é que o programa alcance todo o estado do Pará e que todas as famílias possam ser assistidas através do Criança Feliz. “Nós já atuamos em 118 municípios, mas a nossa meta é alcançar os 144. Para que isso aconteça, precisamos estar juntos, trabalhando em conjunto, atendendo os públicos de base, levando orientação e proteção aos mais vulneráveis, além de dar suporte e proatividade às equipes envolvidas neste trabalho”, afirma.

O seminário faz parte de uma semana de capacitação voltada à equipe técnica de supervisores municipais que atuam no programa. Além disso, técnicos dos Centros de Referência de Assistência Social e da Unidade de Acolhimento para Indígenas Waraos também puderam participar de um workshop sobre os cuidados no desenvolvimento de crianças com famílias indígenas.

Em Santarém, o Primeira Infância no SUAS é executado há um ano, coordenado pela Secretaria Municipal de Trabalho e de Assistência Social, que articula as ações das políticas de assistência, saúde, educação, cultura e direitos humanos. Nesse período, o município conseguiu alcançar a meta estipulada pelo Ministério da Cidadania de acompanhar pelo menos 800 famílias.

Seminário faz parte de capacitação da equipe técnica que atua no programa Criança Feliz/Primeira InfânciaPara a coordenadora do programa em Santarém, Louise Aguiar, o Primeira Infância no SUAS tem sido um marco importante para o desenvolvimento integral das crianças. “É nessa fase que ela desenvolve suas principais habilidades e características que vão influenciar nas suas relações ao longo da vida. Por isso, a relevância de um programa específico para essa fase tão crucial. Acredito que estamos cultivando frutos e colheremos o resultado mais tarde", enfatizou a coordenadora.

Integração – O Ministério da Cidadania é responsável pela coordenação nacional do programa, atendendo famílias com crianças na primeira infância, gestantes e beneficiárias do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O Criança Feliz é uma estratégia alinhada ao Marco Legal da Primeira Infância, que traz as diretrizes para a formulação e implementação de políticas públicas, além da atenção no desenvolvimento infantil e humano, como forma de acompanhar e ensinar vários fatores que fazem com que meninos e meninas cresçam com hábitos e vida saudável.

“Nós temos discutido formas de aprimorar a nossa atuação nos estados e nos municípios, ficamos felizes ao perceber que a política de assistência social tem construído, junto com as demais políticas, novos métodos de integração. Essa é a nossa proposta, entender a importância que o programa tem no processo de desenvolvimento dessas crianças e de seus familiares, e trabalharmos juntos em prol desse público”, afirmou a representante do Ministério da Cidadania, Katiusca Santos.

Segundo o titular da Seaster, Inocencio Gasparim, 34.129 indivíduos em 29.682 famílias já foram visitados pelo Criança Feliz, entre eles, meninos e meninas de zero a três anos e grávidas, “Desde janeiro, priorizamos esse programa junto ao Ministério da Cidadania, por entender a importância em orientar e acompanhar essas famílias. Cientificamente, está comprovado que as crianças que recebem atenção e cuidado durante os primeiros mil dias de vida podem desenvolver uma capacidade cerebral três vezes maior do que as que, por algum motivo, não recebem, por isso dar esse suporte é imprescindível”, frisou o secretário.