Hemopa descentraliza coleta e vai até Icoaraci em busca de doadores

22/08/2019 15h45 - Atualizada em 22/08/2019 17h25
Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)

Mais de 120 pessoas estiveram na unidade móvel, que permaneceu dois dias estacionada perto da orlaFoi no centro comercial de Icoaraci, bem perto da orla, onde circulam muitas pessoas, que a unidade móvel de coleta da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) ficou estacionada, nesta quarta e quinta-feiras (21 e 22), para realização de mais uma campanha externa de doação de sangue.

Raimundo Nazareno, 59, foi um dos doadores. "Até quando eu puder", disse, emocionadoSeu Raimundo Nazareno, 59, soube que o Hemopa estava em Icoaraci e compareceu. “Pra mim é muito importante. Eu sei que posso tirar uma pessoa de dentro do hospital, de um leito e estou disposto a fazer isso até quando eu puder", contou, emocionado.

Nos dois dias, foram 128 comparecimentos e 81 bolsas de sangue coletadas que vão beneficiar até 324 pacientes. O vigilante Marcelo Conceição, 43, é morador do distrito e já fez doação de sangue mais de uma vez, mas deixou de comparecer por dificuldade de ir até uma unidade de coleta. “Quando soube que o Hemopa viria com o ônibus para cá, eu aproveitei!”, disse o vigilante.

Cerca de dez mulheres da escola ‘Cantinho da Dança’ se juntaram para fazer parte desta ação solidária. “A nossa proposta é fazer o bem ao próximo e foi pensando nisso que decidimos vir. Este é um ato de amor, é uma coisa que não custa nada pra gente, mas é muito valioso para outras pessoas”, ressaltou a professora Josyane Silva.

O Hemopa realiza regularmente ações itinerantes com o objetivo descentralizar a coleta de sangue e aproximar os serviços ao cidadão que deseja se tornar um doador voluntário e salvar vidas de pessoas anônimas.

A técnica de enfermagem Cristiane Arias trabalha há 10 anos na fundação e se diz feliz de fazer parte do trabalho Para a técnica de enfermagem Cristiane Arias, que trabalha coletando o sangue dos voluntários e sempre participa das ações externas, diz que é uma satisfação indescritível. "Eu já trabalho na fundação há 10 anos. Como funcionaria, é muito gratificante ver como as pessoas estão disponíveis para ajudar, mesmo sem saber para quem vão as bolsas de sangue doadas. Eu agradeço muito por fazer parte disso", ressaltou.

Doação – Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos (menores devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar documento de identificação oficial, original e com foto.

Serviço:
As doações de sangue também podem ser feitas no Hemocentro Coordenador e na Estação de Coleta Castanheira, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30, e aos sábados, de 7h30 às 17h. Há ainda a Estação de Coleta Pátio Belém que funciona de segunda a sexta-feira de 10h às 17h. Mais informações: 08002808118 ou 3110-6500.