Terminal Hidroviário oferece profissional em libras e cartilha em braile

15/07/2019 15h22 - Atualizada em 15/07/2019 18h20
Por Bruno Magno (CPH)

Deficientes auditivos e visuais já tiveram acesso ao serviço a partir desta segunda-feira (15)Deficientes auditivos que utilizam o Terminal Hidroviário de Belém (THB) já têm o auxílio de uma profissional em libras para obter informações no local. O espaço também disponibilizou um Código de Defesa do Consumidor (CDC) impresso em braile. Os serviços de inclusão começaram a ser oferecidos nesta segunda-feira (15) pela Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH), responsável pela administração do local.

A intérprete em libras vai atuar durante a semana, de segunda à sexta-feira, no horário de 7h às 13h, na sala da administração do terminal. Nesta manhã, a profissional circulou pelos corredores do Terminal para conhecer a rotina dos usuários. "Vai ser um serviço muito importante para os deficientes auditivos, que vão ter uma compreensão maior das informações no local. Já o Código de Defesa do Consumidor em braile também vai trazer mais clareza para os usuários cegos que passarem por aqui", explica a técnica em libras contratada pela CPH, Karen Bandeira.

Além de fornecer uma série de tutoriais com orientações sobre os principais direitos e deveres dos consumidores, a cartilha possui um QRcode que possibilita abrir o c ódigo online. Todas as medidas atendem recomendação da Defensoria Pública União (DPU).

Férias – Cerca de 140 mil usuários devem passar pelo Terminal Hidroviário de Belém em julho, isso representa cerca de 5 mil passageiros por dia e 35 mil por semana. A exemplo do ano passado, os destinos mais procurados pelos veranistas devem ser os municípios de Salvaterra, Joanes, Ponta de Pedras e Cachoeira do Arari, todos na ilha do Marajó, e a cidade de Macapá, no estado do Amapá.