Programação reúne 500 jovens para falar sobre combate às drogas

26/06/2019 14h38 - Atualizada em 26/06/2019 18h37
Por Natália Mello (SECOM)

Ação faz parte das atividades pelo Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de DrogasCerca de 500 adolescentes e jovens atendidos pela Fundação ParáPaz, na Região Metropolitana de Belém, participaram, na manhã desta quarta-feira (26), de uma programação de combate ao uso de entorpecentes, no Centur. A ação, que incluiu palestras, rodas de conversa e apresentações artísticas de grupos de hip hop e de música, faz parte das atividades pelo Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas.

Na abertura do evento foram repassadas informações importantes em uma mesa formada pela presidente da ParáPaz, Ray Tavares; pelo titular da Secretaria de Estado de Articulação da Cidadania (Seac), Ricardo Balestreri; pelo presidente da Comissão de Prevenção às Drogas da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado estadual Fábio Freitas; pelo secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Rogério Barra; pelo presidente da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), Hilbert Nascimento; por representantes da Secretaria de Estado Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) e da Polícia Militar; e pelo coordenador do projeto 100% Liberdade, da Igreja Quadrangular, Walber Duarte.

Com a temática "Drogas não têm jogo. É game over", a programação envolveu muitos dos adolescentes presentes no local. Aluno da escola Cora Tereza Silva Rocha, em Marituba, Fábio Fernando Alves, de 16 anos, conta que vivenciou momentos muito difíceis em casa com o seu irmão mais velho. "Ele usou drogas por um tempo e só com muito carinho e atenção da minha mãe e de todos em volta ele conseguiu sair dessa. Foi uma experiência muito ruim. Nossas coisas sumiam do nada, sem explicação", revelou.

Para o estudante, as palestras vêm para trazer aos jovens uma oportunidade de conhecimento e reflexão sobre o assunto. "As drogas só nos fazem mal. Se eu pudesse dizer algo para quem nunca experimentou, eu diria que pensem mais no que vocês vão fazer. As drogas não levam a nada, só te destroem", concluiu.

Os jovens são atendidos pela Fundação ParáPaz, na Região Metropolitana de BelémAna Carolina Palheta, de 14 anos, também da escola de Fábio, fala sobre o trabalho realizado na instituição para conscientizar os estudantes sobre a importância de evitar a utilização de drogas. "Eles conversam muito com a gente, falam de alunos que passaram por isso, que tiveram problemas por utilizarem drogas. Eu não tive essa experiência, mas é bom para termos uma cabeça mais aberta, porque tem pai que não conversa", analisou.

A campanha também está sendo levada para os 18 polos da Fundação, segundo a presidente Ray Tavares, buscando, além de repassar informações que previnam o uso das drogas, garantir o apoio aos que são usuários. Ela destaca, ainda, que todos os presentes são agentes multiplicadores e que podem contribuir com o trabalho realizado pelo Estado.

Presidente da ParáPaz, Ray Tavares, disse que a campanha está sendo levada para os 18 polos da Fundação no Estado"Estamos fazendo essa abertura para tornarmos públicas as atividades desenvolvidas e para fazer uma chamada de lideranças, professores, pais e jovens, para que eles venham ouvir as mensagens, que possam detectar pessoas que, por ventura, possam estar dependentes. É importante que quem está aqui possa levar essa mensagem. Nós estaremos nas escolas, nas ruas, nos centros comunitários, e vamos expandir que a droga é negativa", concluiu Ray Tavares.

Testemunho – O detento Antônio Ribeiro esteve à frente da roda de conversa "Papo Dirocha", que integra o projeto "Conquistando a Liberdade", da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). Como parte da programação, o bate-papo tem o objetivo de alertar para os prejuízos que a droga pode causar à vida das pessoas.

"A mensagem que eu passo para o jovem é para chamar a atenção sobre a droga e dizer que isso é uma coisa que não leva a futuro nenhum. Por conta de amizades erradas, comecei a fumar um cigarro e depois passei para a maconha e acabei me viciando. A droga só trouxe coisa ruim para a minha vida, mas graças a Deus hoje eu tenho uma vida nova, uma nova estrutura, porque fui afastado das drogas. O 'Conquistando a Liberdade' está sendo muito bom para a minha vida", afirmou Antônio.

Para o diretor de inserção social da Susipe, Ed Wilson Nascimento, a iniciativa é um conjunto de atividades de paz. "Atuamos na recuperação das escolas, com manutenção, pintura, apenas pela remissão pelo trabalho. Esse testemunho é importante porque conta a história de vida do interno com o intuito de ter uma ação preventiva para aqueles jovens e adolescentes. É nessa ação que a sociedade se conecta com a Susipe e compreende o nosso papel", finaliza.

Campanha – Nos dias 27 e 28 de junho, a programação segue com atividades nos polos da Fundação ParáPaz e escolas. As ações vão reunir atividades integradas de esporte, lazer e oficinas com rodas de conversas, que objetivam orientar a juventude para não usar drogas. O encerramento da programação será dia 29, com uma blitz informativa na avenida Presidente Vargas e no Ver-o-Peso, centro de Belém. Também serão disponibilizados serviços de higiene bucal e de beleza. A mobilização será no horário de 9h às 12h.