Abrigos estaduais garantem proteção social para pessoas idosas

15/06/2019 11h52 - Atualizada em 15/06/2019 14h48
Por Rodrigo Sousa (SEASTER)

De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos os serem humanos nascem livres e iguais em dignidade de direitos, porém a Organização das Nações Unidas (ONU) revela que o gozo desses direitos diminui com a idade. Dia 15 de junho marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída pela ONU e faz parte da campanha "Junho Roxo".

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), coordena dois abrigos na Região Metropolitana de Belém: o Nosso Lar Socorro Gabriel, localizado no bairro do Val-de-Cães, que atualmente conta com 46 idosos residentes, e o Lar da Providência, no Souza, que abriga 41 pessoas.

Helena e Jorge são idosos residentes de abrigos mantidos pelo EstadoNatural do município de Soure, Helena Madalena, 92, reside no Lar Socorro Gabriel há dois anos. Sorridente e vaidosa, ela é grata pelos cuidados que recebe. "Minhas netas moram em Salvaterra, fica distante daqui, então eu tenho o lar como a minha outra família. Todos os dias eu sou atendida pelos médicos, troquei até a dentadura. Sou muito bem cuidada, gosto de todo mundo", comenta.

Ex-jogador de futebol, seu Jorge Corrêa, 79, também não esconde a gratidão que sente pela equipe técnica do abrigo. "Estou vivendo muito bem, sem preocupação e com muita tranquilidade. Durmo e como a hora que eu quero, eu não sou obrigado a nada, e tenho muitos amigos aqui no Lar", revela.

Proteção Social – A agressão física não é a única forma de violência contra a população idosa. Atualmente, a negligência é uma das principais violações, e pode ser identificada por meio do descuido com a higiene e a saúde, privação de medicamentos e ausência de proteção contra frio e calor, por exemplo.

Por isso, o principal serviço das unidades é a moradia com atendimento integral, que conta com uma equipe multiprofissional composta por nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos, fisioterapeutas, dentistas, cuidadores e outros profissionais.

A gerente do abrigo Nosso Lar Socorro Gabriel, Andrea Lisboa, explica que os idosos encaminhados para as unidades são oriundos de casos de alta complexidade, ou seja, aqueles indivíduos afastados, temporariamente, do núcleo familiar ou de origem. "Nós não fazemos acolhimento espontâneo. Os idosos que temos, chegam por meio de processos e encaminhamentos dos órgãos públicos, depois da realização de um estudo social", pontua.

Assim, todos os serviços oferecidos pelos espaços são para garantir o bem estar e a qualidade de vida dos residentes. "Nós acolhemos idosos a partir de 60 anos e garantimos saúde, assistência, lazer e cultura. As violências que sofrem são de cunho criminoso, que pode o tornar invisível para a sociedade, por precisamos reeducar as famílias na arte de amar", conta a gerente do abrigo Lar da Providência, Silvia Sousa.

Como denunciar – Os abusos sofridos pela população idosa podem ser denunciados aos órgãos municipais, estaduais ou por meio do Disque 100 do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.