Centro celebra um ano de atendimento voltado à Pessoa com Deficiência

30/05/2019 18h35 - Atualizada em 02/06/2019 20h02
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Um dia para festejar. Esse foi o clima desta quinta-feira (30), no Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), que comemorou seu primeiro ano de funcionamento junto aos colaboradores, usuários e acompanhantes. A programação foi aberta com um ato ecumênico e contou com atividades culturais, de lazer, e de educação em saúde.

O Centro oferta diversas especialidades e tecnologias, voltados à Pessoa com Deficiência (PcD), sempre prezando pela acessibilidade, assistência segura, de qualidade e humanizada aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Construída às margens da Baía do Guajará, consolidou-se como modelo inovador de assistência de média e alta complexidade. São mais de 40 mil metros quadrados, sendo 15 mil só de área construída. O espaço possui uma estrutura singular com Centro Especializado em Reabilitação (CER IV), destinado ao atendimento de pessoas com deficiência auditiva, física, intelectual e visual.

No local, está instalada a Oficina Ortopédica Fixa, onde a dona de casa Érika de Paula acompanha seu filho Nahum, de 6 anos, que foi diagnosticado com autismo. “Ele foi um dos primeiros usuários. Aqui, ele é tão bem atendido que, por mim, ele passava o dia inteiro, a semana toda”, brinca a mãe. O menino realiza várias terapias, entre elas, fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, além da integração sensorial. “Só tenho a agradecer o atendimento e a evolução clínica do meu filho”, ressaltou Érika.

Na prática, a integração sensorial auxilia o menino Nahum para que seu cérebro organize as informações recebidas, gerando respostas adaptativas e mais adequadas, organizando as sensações do próprio corpo e do ambiente. De acordo com a terapeuta ocupacional, Grazielly Santos, na integração sensorial são admitidos usuários que tem disfunção sensorial, atendendo suas demandas a partir de estratégias próprias.

Segundo o diretor executivo do CIIR, o administrador José Neto, a terapia de integração sensorial tem grande relevância nas novas tecnologias ofertadas pela saúde. “Trata-se de uma abordagem de alta complexidade e de alto custo na reabilitação, que transforma realidades de usuários, que, antes da assistência, não conseguiriam participar de atividades simples, como uma festa de aniversário, devido o barulho, por exemplo”, diz. “A integração sensorial possibilita mudança de vida e adequação do desenvolvimento ocupacional ao indivíduo”, destacou o gestor.

Outras terapias – Este ano, o CIIR também começou a oferecer a terapia PediSuit para usuários já em assistência e com indicação para o procedimento. O protocolo melhora o desenvolvimento motor, o reforço muscular, o equilíbrio e a coordenação do indivíduo com disfunções neurológicas. A técnica vem trazendo resultados positivos em crianças com paralisia cerebral, atraso do desenvolvimento motor, síndrome de Down, deficiências ortopédicas e neurológicas, hipotonia, autismo, acidente vascular encefálico, entre outros.

A pequena Maitê Dias Cardoso, de apenas três anos, é usuária do Centro há 10 meses e recebeu indicação para a nova terapia. Com diagnóstico de anoxia perinatal (causada por ausência ou diminuição de oxigênio no cérebro durante o nascimento), ela já tem atendimento em fonoaudiologia, terapia ocupacional, hidroterapia, psicopegadogia, musicoterapia e, agora, o PediaSuit.

Hidroterapia – A atividade de hidroterapia  também faz parte da lista de terapias associadas ao atendimento das Pessoas com Deficiência (PcD) de todas as faixas etárias. É um recurso que utiliza as propriedades da água na prevenção e no tratamento de diversas patologias, e consiste na realização de exercícios específicos em piscina coberta e aquecida.

O jovem Airton Pessoa, de 24 anos, formado em Educação Física, é um dos usuários do CIIR, que passou a fazer a hidroterapia. Com paralisia cerebral, ele recebe atendimento desde julho e já percebe os benefícios. "Estou muito contente. Agora, com a hidroterapia, minha reabilitação ficou ainda mais completa", enfatizou o paciente, que também faz acompanhamento com fonoaudiólogo.

Projetos

“Meninos do Rio” – Estimula a prática da modalidade de canoagem e stand-up paddle, atividades desenvolvidas às margens da Baia do Guajará, onde fica localizado o centro. A associação da atividade esportiva aquática com o tratamento convencional da reabilitação garante a amplitude da perspectiva terapêutica do projeto. De acordo com a coordenadora do setor de Fisioterapia do CIIR, Monizze Carleto, o treinamento realizado na água permite a estimulação do corpo como um todo.

Judô sem Barreiras – O projeto usa a modalidade para estimular e melhorar o desempenho cardiovascular, a força, coordenação motora, disciplina, concentração e equilíbrio, além de elevar a autoestima e autonomia das pessoas assistidas pelo Centro.

Estrutura – O CIIR se diferencia dos demais existentes no País por ofertar todos os serviços de assistência em um único lugar. Os usuários contam também com um Centro de Especialidades Odontológicas, para atendimento das complexidades com diversos procedimentos, inclusive de cirurgia oral, periodontia e endodontia.

O CIIR oferece serviço de apoio e diagnóstico, com raio X digital, ultrassografia, eletroneuromiografia, ergometria, eletroencefalograma, eletrocardiograma, ecocardiograma, mapa, holter, raios X odontológico, densitometria óssea e hidroterapia, com piscina aquecida, terapias alternativas e esportes. O local tem, ainda, várias especialidades, entre elas, cardiologia, fisiatria, genética, neurologia, entre outras.

Aos usuários em condições específicas, o CIIR oferece transporte por meio de duas vans adaptadas, que garantem o acesso e facilita a locomoção e assistência.

Atendimento – Para ter acesso aos serviços, o usuário deve ser encaminhado, exclusivamente, por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBS), onde a Central de Regulação de cada município envia à Regulação Estadual, onde o pedido será analisado conforme perfil do usuário, por meio do Sistema de Regulação (Sisreg).

Serviço – O Centro funciona em um prédio na Rodovia Arthur Bernardes, 1.000. Mais informações: (91) 4042-2157/58/59.