Governo autoriza em Alenquer início da pavimentação da PA-427

30/05/2019 21h04 - Atualizada em 02/06/2019 20h02
Por Redação - Agência PA (SECOM)

O governador do Pará, Helder Barbalho, assinou na tarde desta quinta-feira (30), no município de Alenquer, no oeste do Estado, a Ordem de Serviço (OS) para o início da pavimentação da Rodovia PA-427, no trecho que vai da sede municipal até o Parque de Exposições local, uma reivindicação antiga da população. A obra faz parte de um pacote de ações do Estado na região, que está sendo anunciado pessoalmente pelo governador, em visita a seis municípios nesta quinta (30) e sexta-feira (31). Além de Alenquer, a OS também abrange obras de pavimentação nos municípios de Monte Alegre e Prainha.

O investimento do Tesouro estadual nessas intervenções é superior a R$ 12,6 milhões. "Com isso, queremos, cada vez mais, promover a integração da região da Calha Norte, que sofreu com a ausência do governo durante tanto tempo", frisou Helder Barbalho.

A assinatura ocorreu durante a cerimônia de entrega de uma subestação da concessionária de energia elétrica que opera no Pará. Na ocasião, o governador cobrou uma oferta de serviço com maior qualidade, e também uma tarifa mais acessível para os paraenses. "Não é aceitável que o Pará, sendo produtor de energia, pague uma conta tão cara", destacou Helder Barbalho.

Ele aproveitou a ocasião para anunciar à população de Alenquer que vai refazer um decreto estadual, publicado na gestão passada, que dificultou a exploração de bauxita na região, uma das grandes vocações locais. "Quero voltar aqui em breve para assinar esse novo decreto, que vai dar condições para essa atividade, o que, certamente, vai trazer desenvolvimento, geração de emprego e renda para a população", assegurou.

Banpará - Antes da solenidade na subestação, o chefe do Executivo estadual participou da inauguração das novas instalações da agência do Banco do Estado do Pará (Banpará) em Alenquer, a sexta entregue nos cinco primeiros meses de governo. A agência, com cerca de 300 metros quadrados, representa um investimento de mais de R$ 1,5 milhão do Banpará, que atualmente está presente em 102 municípios do Estado. "A nossa meta, ao final dos quatro anos desta gestão, é ter levado o Banpará para os 144 municípios paraenses, fortalecendo o banco e prestigiando a nossa gente, principalmente o pequeno produtor e empreendedor, que precisa da oferta de crédito barato", enfatizou Helder Barbalho.

O presidente do Banpará, Braselino Assunção, disse que a nova agência em Alenquer vai possibilitar um serviço com mais qualidade e conforto aos servidores e à população. "O Banpará oferece produtos de primeira qualidade, à altura da importância desse município para a região", destacou.

O governador também inspecionou a obra do Terminal Hidroviário de Alenquer, embargada há pelo menos 12 anos, e se comprometeu com a população a buscar soluções para retomar os trabalhos.

Hospital - Helder Barbalho inaugurou, durante a extensa agenda de trabalho, a Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) do Hospital Santo Antônio, que tem convênio com o Governo do Estado para atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

A nova CAF representa um investimento de cerca de R$ 780 mil do Tesouro estadual, e é fruto de um convênio de R$ 4 milhões, que também prevê a ampliação do hospital e implantação de novos serviços, como uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com dez leitos. Hoje, o Hospital Santo Antônio oferta 100 leitos de internação para pacientes do SUS.

"Essa região é muito carente, sobretudo de leitos de UTI. Por isso, esse convênio é tão importante para a Calha Norte. Esperamos que a UTI esteja pronta até o final deste ano", disse Ivete Vaz, secretária adjunta de Políticas de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), que acompanhou o governador na visita ao hospital. Ele conheceu as instalações, cumprimentou funcionários e conversou com pacientes.

Tratamento - Ainda em Alenquer, Helder Barbalho conheceu a história do menino Joaquim Leite, 3 anos, morador da sede municipal, que sofreu uma parada respiratória no ano passado e, desde então, sofre com sequelas que dificultam seu dia a dia.

Os pais do menino pediram ajuda ao governador, que determinou à Sespa o acompanhamento e encaminhamento de Joaquim para o tratamento adequado, o qual, segundo a família, só é oferecido fora do País.