Projeto Nova BR terá Centro Operacional sustentável

09/05/2019 15h25
Por Redação - Agência PA (SECOM)

O Centro de Controle Operacional (CCO), que está sendo construído como parte do projeto de requalificação da rodovia BR-316, atende critérios de sustentabilidade, o que trará benefícios econômicos, sociais e ambientais à região. A construção iniciou em janeiro deste ano, integrando a primeira etapa de execução da Nova BR. A previsão é que as obras estejam concluídas até julho de 2020.

A instalação do Centro de Controle Operacional faz parte do projeto de requalificação da rodovia BR-316 executado pelo Governo do Pará, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), e concentrará a operacionalização do sistema BRT (Bus Rapid Transit) Metropolitano e BRT Belém, futuramente integrados.

De acordo com o diretor-geral do NGTM, engenheiro Eduardo Ribeiro, além do gerenciamento integrado, sistemas municipal e metropolitano, “haverá também a possibilidade de monitoramento de segurança pública por meio das câmeras que serão instaladas nas estações de passageiros e corredores, proporcionando às polícias Civil e Militar a inspeção online”.

Segundo Ribeiro, o projeto do CCO também passou por uma adequação com o objetivo de evitar a supressão de espécie vegetal concentrada no terreno da Prodepa, como por exemplo, uma samaumeira, que será preservada. “Agora, o projeto da edificação foi realocado para garantir a manutenção das espécies vegetais da Amazônia”, reforça o diretor-geral do Núcleo.

Certificação – O CCO atende todos os pré-requisitos para obter certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), que é a principal plataforma utilizada em projetos sustentáveis. O diretor de planejamento da Diretoria de Planejamento (Diplan) do NGTM, engenheiro Claudio Conde, explica que a obra, além de atender os critérios estabelecidos para a certificação, também será acompanhada por um especialista credenciado à certificadora.

“Ele que vai constatar, em campo, que cada etapa da construção estará utilizando materiais e procedimentos de acordo com o LEED para obter a certificação”, detalha.

Entre os benefícios desse modelo de construção na etapa da obra, estão maior eficiência e segurança, e a priorização da saúde dos trabalhadores. Após a construção, trará menor custo operacional, aumento da produtividade do funcionário, incentivo aos fornecedores com maiores responsabilidades socioambientais e aumento da satisfação e bem-estar dos usuários.

LEED – É o sistema de classificação de ‘edifícios verdes’ mais utilizados no mundo. Presente em mais de 165 países e territórios, se tornou um símbolo reconhecido de sustentabilidade. A sigla LEED quer dizer Liderança em Energia e Design Ambiental. Já a certificação é uma documentação internacional criada em 1993 pelo United States Green Building Council (USGBC), com o objetivo de conduzir as construções civis para um caminho mais sustentável. O documento avalia o desempenho ambiental das construções e pontua de acordo com cada critério adotado na construção.

O modelo leva em consideração todo o ciclo de vida do empreendimento, desde a concepção, construção e operação até o descarte dos resíduos após a vida útil da obra. Nesse processo, há grande quantidade de resíduos gerados e um consumo excessivo dos recursos naturais, como água e energia, que interferem e comprometem o equilíbrio do meio ambiente.

No Brasil, um exemplo desse tipo de construção é o estádio do Mineirão, em Minas Gerais, onde toda água da chuva é reutilizada internamente. O local ainda tem painéis fotovoltaicos para geração de energia solar. Já no Pará, o CCO será o terceiro empreendimento do tipo.

De acordo com o USGBC, entre os benefícios da certificação são:

Econômicos: 

Diminuição dos custos operacionais

Diminuição dos riscos regulatórios

Valorização do imóvel para revenda ou arrendamento

Aumento na velocidade de ocupação

Aumento da retenção

Modernização e menor obsolescência da edificação

Sociais:

Melhora na segurança e priorização da saúde dos trabalhadores e ocupantes

Inclusão social e aumento do senso de comunidade

Capacitação profissional

Conscientização de trabalhadores e usuários

Aumento da produtividade do funcionário;

Incentivo aos fornecedores com maiores responsabilidades socioambientais

Aumento da satisfação e bem estar dos usuários

Estímulo a políticas públicas de fomento a construção sustentável

Ambientais:

Uso racional e redução da extração dos recursos naturais

Redução do consumo de água e energia

Implantação consciente e ordenada

Mitigação dos efeitos das mudanças climáticas

Uso de materiais e tecnologias de baixo impacto ambiental

Redução, tratamento e reuso dos resíduos da construção e operação.