Sejudh discute recuperação de navio Abaré para atender ribeirinhos

21/03/2019 21h41
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Levar serviços de cidadania, saúde e segurança pública a moradores das margens dos rios paraenses foi pauta do encontro entre representantes da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e da reitoria da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), na quarta-feira (20), em Santarém. O titular da Sejudh, Rogério Barra, se reuniu com o reitor da Ufopa, Hugo Diniz, para iniciar a discussão sobre a reativação do navio “Abaré”- administrado pela instituição -, com o objetivo de melhorar os serviços prestados e oferecer outros, igualmente necessários à população. 

Atualmente há parceria entre a Ufopa e os municípios de Santarém, Aveiro e Belterra, na qual a Universidade é responsável pela manutenção e guarda do “Abaré”, enquanto as Prefeituras utilizam o navio em ações de assistência à saúde das comunidades ribeirinhas da região do Tapajós, oferecendo atendimento médico com equipes multiprofissionais. Entretanto, a embarcação está com problemas estruturais porque a instituição não tem equipe técnica para fazer a manutenção adequada, que tem custo elevado, informou o secretário. 

Transferência - A proposta é articular com órgãos federais a transferência da gestão do navio à Marinha do Brasil, com experiência e conhecimento técnico para fazer os reparos necessários, sob a condição de manter a embarcação atendendo às demandas da Ufopa a partir de um Termo de Cooperação. “Operar um navio sem um sistema de manutenção poderá, em curto prazo, levar esse navio a um desgaste sem reversão, perdendo assim um ativo do Erário nacional”, justificou Rogério Barra.

Paralelamente, o objetivo é ampliar os serviços prestados a partir de uma parceria com o Governo do Estado, por meio da Sejudh e da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), para levar, respectivamente, ações de cidadania e delegacia itinerante, para combater a criminalidade nos rios da Amazônia, informou Rogério Barra, acrescentando que a intenção é levar o “Abaré” para outras localidades do Estado que também precisam desses serviços, beneficiando os demais municípios do Baixo Amazonas e de outras regiões, como o Arquipélago do Marajó.

“A reunião foi produtiva porque a Universidade demonstrou interesse na proposta, e o próximo passo será demandar uma audiência com os demais órgãos, que também já sinalizaram positivamente. Seguindo a diretriz do novo Governo para aproximar e integrar o Estado, vamos seguir na luta para executar esta ação integrada, cujo objetivo primordial é levar serviços essenciais à população ribeirinha que, na maioria das vezes, está também às margens de tudo aquilo que é garantido na Constituição”, enfatizou o secretário.