Icoaraci recebe ação de saúde em comemoração ao Outubro Rosa

23/10/2015 20h13
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Na manhã deste sábado (24), mulheres atendidas pela rede pública de saúde terão uma manhã alegre e de cuidados com a saúde em um laboratório no distrito de Icoaraci. O evento faz parte de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) e o laboratório Bio Diagnóstico que se comprometeu em oferecer, gratuitamente, 15 mamografias.

Além dos exames, as pacientes receberão orientações sobre o câncer de mama e vão desfrutar de um café da manhã. Durante todo o mês de outubro, o laboratório também oferece preços promocionais para consultas com o mastologista, ultrassonografia mamária e mamografia.

A intenção é conscientizar a população sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama e incentivar a procura por atendimento médico, que é o foco da campanha Outubro Rosa, evento comemorado em todo o mundo para lembrar a luta contra a doença. “Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores são as possibilidades de cura. Se descoberto em fase inicial, as chances são de mais de 90%. Por isso, a importância de conscientizarmos cada vez mais a população e incentivarmos a procura por atendimento médico”, diz Nazaré Falcão, coordenadora do Núcleo de Apoio à Gestão na Atenção da Mulher no Controle do Câncer e Colo de Útero e Mama.

No Pará, a campanha foi lançada no dia 1º de outubro, no salão paroquial da Igreja Matriz de Icoaraci. No encerramento da campanha, no dia 30 de outubro, será feira a entrega do Prêmio Pará Mulher, que contemplará os três municípios que mais se destacaram nos indicadores de câncer de mama e colo de útero.

Uremia - A Unidade de Referência Especializada Materno Infantil, em Belém, tem reforçado as ações de conscientização e prevenção do câncer de mama, através da campanha Outubro Rosa. Em média, 35 mamografias são realizadas diariamente na unidade, seja por referência ou por demanda espontânea.

Na unidade, atualmente um mamógrafo está instalado e outro está em fase de instalação. Diariamente, três mastologistas atendem pela manhã e tarde. Além disso, técnicos e enfermeiros capacitados atuam no atendimento dos usuários do serviço. Para fazer o exame, a mulher deve primeiramente procurar a Unidade de Saúde mais próxima de casa para que possa ser encaminhada ou não para locais de referência onde estão disponíveis os procedimentos de mamografia.

Além de mamografias, desde 2013, a unidade faz mutirões para retirada de nódulos em mamas, para tratamento de lesões benignas e diagnóstico precoce de câncer, além de ultrassonografias. O serviço já beneficiou mais de 400 mulheres em 23 mutirões. No âmbito da média complexidade, outra unidade que também oferece o serviço à população é a Fundação Santa Casa de Misericórdia, que faz a média de 147 mamografias por mês.

Pará - Nas demais regiões do Estado, exames de mamografia pelo Sistema Único de Saúde (SUS) podem ser feitos na região do Baixo Amazonas (Casa da Mulher de Santarém e Carajás) e no Centro de Referência Integrado à Saúde da Mulher, em Marabá. No sistema privado, algumas clínicas particulares também realizam exames em convênio com o SUS.

Outros quatro hospitais regionais – localizados em Altamira, Marabá, Santarém e Breves – também fazem o procedimento no Estado. Atualmente o Pará dispõe de 113 mamógrafos, incluindo as redes SUS e privada, sendo 64 no SUS. Além disso, a Secretaria Estadual de Saúde anunciou, recentemente, que está reestruturando os serviços para garantir novos mamógrafos. Além do novo equipamento que já está em fase de instalação na Uremia, outros dois serão instalados no Hospital Ophir Loyola e na Santa Casa, ambos na capital.

Dados - Segundo o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), em 2014, no Pará, foram feitas 47.617 mamografias em mulheres na faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde para prevenção do câncer de mama – 50 a 69 anos – e 2.402 mamografias em mulheres de outra faixa etária. Em 2015, os registros mostram que, de janeiro a abril, foram feitas 15.530 na faixa etária preconizada e 616 em outra faixa etária. A meta para os Estados é de 10% das mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos, que devem fazer mamografia. A estimativa é que a meta seja maior a cada ano.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, as taxas de mortalidade pela doença continuam elevadas, provavelmente, pelo diagnóstico em estágios avançados. Até o final do ano são estimados 830 casos da doença no Pará, sendo 360 na capital. Em 2013, o Ophir Loyola registrou 553 casos novos, 501 em 2014 e 308 de janeiro a agosto de 2015.

Outubro Rosa - Realizada em todo o mundo desde a década de 90 para lembrar a luta contra a doença, a campanha Outubro Rosa ganhou força no Brasil no início dos anos 2000. No Pará, a adesão passou a ser expressiva a partir de 2013, com a lei 7.746 sancionada pelo governador Simão Jatene. Desde então, durante todo o mês, campanhas de esclarecimentos, exames e outras ações educativas e preventivas visando à saúde da mulher são reforçadas pelo governo em cooperação com a iniciativa privada e entidades civis. Além da mamografia para as mulheres acima dos 50 anos, a campanha reforça a importância do autoexame e dos exames clínicos, caso seja percebida qualquer tipo de alteração na região mamária.

Serviço - O evento ocorre no laboratório localizado na Tv. São Roque, 579 - Cruzeiro - Icoaraci - Belém. Entre rua Padre Júlio Maria e Rua Quinze de Agosto. 

(Com informações da Secom)