Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
ESTUDOS E PESQUISAS

Fapespa informa sobre resultado da Chamada MCI – Mobility ConfapItaly 2023

Por Manuela Oliveira (FCP)
23/05/2024 20h33

A Fundação de Amparo a Estudos e Pesquisa (Fapespa) informa que foi publicado o resultado parcial da Chamada MCI – Mobility Confap Italy 2023, que tem por objetivo apoiar a mobilidade de pesquisadores de mestrado, doutorado e pós-doutorado do Brasil para as universidades italianas. A chamada foi lançada em 2023, no âmbito do Acordo de Cooperação assinado pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP) e pela Universidade de Bolonha (UNIBO), que atua como Secretariado Técnico da Rede das Universidades Italianas.

“Trata-se de uma ação de incentivo à internacionalização dos nossos pesquisadores, pensando sempre no desenvolvimento científico e na formação de recursos humanos de alto nível na região Amazônica e no Pará.  Essa chamada é uma ação do CONFAP, na qual a Fapespa e outras Fundações estaduais de Amparo à Pesquisa aderiram e se comprometeram em apoiar pesquisadores sediados nos seus Estados. Hoje, com a divulgação do resultado preliminar, indica a proposta aprovada no âmbito do Pará e que será apoiada pela Fapespa”, informa o diretor Científico da Fapespa, Deyvison Medrado.

Nesta ação, foram elegíveis pesquisadores vinculados a Universidades e Instituições de Pesquisa dos estados brasileiros cujas Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) estivessem participando da chamada. O fomento oferecido aos pesquisadores do Brasil será realizado por meio de bolsas de estudo, considerando as modalidades de bolsas, regras e critérios de elegibilidade específicos de cada FAP. 

Benefícios - O objetivo do acordo entre o Confap e as Universidades Italianas é facilitar e apoiar a colaboração efetiva entre os dois países para cooperação científica, tecnológica e de inovação por meio da mobilidade de pesquisadores de mestrado, doutorado e pós-doutorado do Brasil para as universidades italianas, com fomento direto das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAP).

“Essa ação traz inúmeros benefícios prospectivos para o Estado, pois, a partir do fomento ao estágio pós-doutoral,pesquisadores Paraenses podem fortalecer a inserção da ciência Amazônica em grupos de pesquisa internacionais, bem como, estimular a  formação de redes de pesquisa, em busca de soluções, para as mais diversas questões, além de subsidiar o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do Estado”, avalia Medrado.

Programa Mobility Confap Italy (MCI)

A primeira edição do programa MCI começou em 2017 e durou quatro anos, de 2017 a 2021, e possibilitou a abertura de três chamadas públicas do CONFAP, que por meio das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) participantes disponibilizaram bolsas de estudo para pesquisadores do Brasil realizarem intercâmbio nas universidades italianas. 

Integram a Rede das Universidades Italianas: a Universidade de Bolonha; Universidade de Bérgamo; Universidade Politécnica de Marche; Universidade de Modena e Reggio Emília; Universidade de Palermo; Universidade de Pádua; Universidade de Pavia; Universidade de Pisa; Universidade de Roma – La Sapienza; Universidade de Roma Tre; Universidade de Siena; Politécnico de Turim; Universidade de Turim; Universidade de Trieste e Politécnico de Milão.

Ao todo, 19 Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) do Brasil aderiram à Chamada MCI – Mobility Confap Italy 2023 para financiar a mobilidade de pesquisadores com propostas aprovadas. 

Oportunidades - As oportunidades de pesquisa oferecidas pelas instituições de acolhimento elegíveis na Itália estão disponíveis no site do programa MCI, na página “Oportunidades de Pesquisa na Itália”. Além das oportunidades publicadas no site, outras podem ser consultadas diretamente nas universidades integrantes da rede MCI.

“Mas para além disso, essa e outras iniciativas também buscam elevar a Amazônia e o Pará a outros patamares, porque, a internacionalização da ciência, possibilita um salto na qualidade da produção científica. A partir do momento que um pesquisador integra grupos de pesquisa internacionais outras visões de mundo, e outras perspectivas de pesquisa são incentivadas, tendo como consequência a participação em outras ações. Possibilitando que no seu retorno ao país, a expansão de seu arcabouço cultural e científico será aplicado na região e irá disseminar esse conhecimento junto com os grupos de pesquisa locais que ele está envolvido”, considera o diretor.

Para dúvidas acerca das ações de internacionalização da Fapespa: assesoriainternacional@fapespa.pa.gov.br